Research
Product Discovery: Encontrando Problemas e Soluções
Lista de conteúdos
Research

Product Discovery: Encontrando Problemas e Soluções

Product Discovery imagem de capa de artigo

Product Discovery é um processo fundamental em qualquer projeto de desenvolvimento de produto.

É a partir desse processo que são identificadas as necessidades das pessoas usuárias e as possíveis soluções para resolvê-las.

Quer entender como implementar um processo de Product Discovery eficiente? Continue a leitura!

O que é Product Discovery e qual a sua importância?

O processo de desenvolvimento de produtos pode ser descrito de forma simplificada da seguinte maneira:

  • Entendimento do problema;
  • Seleção e refinamento das soluções;
  • Desenvolvimento do produto.

Colocamos essas etapas de maneira simples e bem resumida, mas elas refletem passos de processos como Double Diamond e Design Thinking. Caso você não conheça ou quer se aprofundar mais nesses temas, sugerimos a leitura dos seguintes artigos:

A etapa de Product Discovery contempla a parte de entendimento do problema, seleção e refinamento das soluções.

Nesse sentido, podemos dizer que Product Discovery é uma etapa no processo de desenvolvimento de produtos que visa compreender a pessoa usuária para identificar suas necessidades e, assim, criar melhores soluções.

O foco está em coletar dados, validar ou invalidar suposições e “descobrir” uma necessidade que possa ser solucionada e que seja de extrema importância para a pessoa usuária.

Nesse contexto, o Product Discovery é importante para ajudar a desenvolver produtos que se tornem essenciais no dia a dia das pessoas.

É sobre reduzir os riscos

Product Discovery é sobre reduzir riscos

Outro ponto importante sobre o Product Discovery é que ele diz respeito à redução de riscos.

O desenvolvimento de produtos é um processo que exige muitas tomadas de decisão. Qualquer decisão precipitada ou baseada nas premissas erradas pode custar muito caro para o projeto.

Nesse sentido, investir mais tempo em entender a pessoa usuária, suas necessidades, seu contexto e estudando o mercado e os concorrentes, são ações dentro da etapa de Product Discovery que ajudam a mitigar e reduzir certos riscos.

De maneira geral, queremos evitar alguns riscos relacionados a:

  • Valor do produto: se as pessoas usuárias vão realmente utilizar e ver utilidade no produto;
  • Usabilidade: se as pessoas usuárias vão saber interagir e ter uma boa experiência com o produto;
  • Desenvolvimento: se os desenvolvedores serão capazes de desenvolver o produto conforme solicitado, ou se há limitações técnicas para isso;
  • Negócio: se o produto está alinhado com os objetivos do negócio e traz valor para a empresa.

Portanto, alocar boa parte do seu tempo de projeto na etapa de Product Discovery vai ajudar a coletar dados, entender e reduzir riscos para construir soluções interessantes e imprescindíveis.

Quando fazer a Product Discovery?

De maneira geral, a etapa de Discovery sempre vai ajudar a suportar decisões relacionadas ao produto. Isso é especialmente importante em processos iterativos, em que o produto nunca está realmente terminado, mas sempre em atualização.

No entanto, existem situações em que a Product Discovery realmente é imprescindível e negligenciá-la trará muitos prejuízos ao projeto. São elas:

Expansão dos negócios: quando a empresa toma a decisão de expandir e lançar seu produto em outro país ou região, por exemplo, é importante efetuar a Product Discovery para coletar os dados sobre concorrência, pessoas usuárias, forças e fraquezas dessa nova empreitada.

Desenvolvimento de novos produtos: talvez a situação mais clássica para usar a Discovery, usando-a para entender as necessidades e oportunidades para criar um novo produto.

Atualizações de produto: para entender por completo qual o problema que a atualização vai resolver para as pessoas usuárias.

Fusões e aquisições: quando duas empresas se tornam uma só, seja por um processo de fusão ou de aquisição, pode ser necessário reavaliar o portfólio de produtos. Nessa situação, a Product Discovery é importante para entender quais problemas e soluções cada produto possui e se há como unificá-los.

Quem está envolvido na Product Discovery?

Quem está envolvido na Product Discovery?
Time de Product Discovery

Quando falamos sobre times, especialmente de UX Design, sempre ressaltamos a importância da multidisciplinaridade.

Compor um time balanceado é importante para contemplar diversos pontos de vista, experiências e opiniões que convergem em dados mais robustos para o desenvolvimento de produtos.

Portanto, a configuração de time que vamos explicar não é de fato uma regra, mas é uma maneira de cobrir diversas frentes no processo de Product Discovery. Com isso em mente, podemos considerar a seguinte estrutura:

Stakeholders: são as partes interessadas do projeto e do Product Discovery, geralmente representada pelo time de produto/marketing, mas diretores e CEOs também podem cumprir esse papel. De maneira geral, aprovam as ideias e são responsáveis pelo controle do orçamento.

Desenvolvedores: são as pessoas responsáveis por transformar as ideias em códigos e viabilizar as funcionalidades do produto para as pessoas usuárias. Ao mesmo tempo, avaliam se as ideias propostas são viáveis, em termos de código, ou não.

Analista de Negócio: são responsáveis por observar e analisar o mercado e são defensores dos interesses do negócio. Dessa forma, se preocupam em alinhar os objetivos da empresa com os objetivos do produto.

Gerente de Projeto: responsável por gerenciar as etapas do processo, planejamento de atividades, controle de orçamento, prazos e etc.

Designers: responsáveis por garantir uma boa experiência às pessoas usuárias, levando em consideração a usabilidade do produto.

UX Researchers: são responsáveis por efetuar entrevistas, pesquisas e coletar todo tipo de informação que sejam relevantes para entender os problemas e necessidades das pessoas usuárias e que servirão como base para a construção de soluções.

Apesar de cada um desses papéis específicos dentro de um time de Product Discovery, é importante que haja alinhamento e a participação de todos nas reuniões de projeto. Dessa forma, a multidisciplinaridade estará sempre presente, contemplando as diversas experiências, opiniões e visões sobre as necessidades e soluções.

Dica de Leitura: Por Que Times Balanceados São Importantes em UX Design?

Os 5 princípios do Product Discovery

5 princípios da PD

Existem alguns pensamentos que fazem toda a diferença para que o processo de Product Discovery seja mais eficiente e melhor aproveitado. São eles:

  1. Sempre mantenha o foco nas pessoas usuárias;
  2. Não tenha pressa;
  3. Falhar é bom;
  4. Tenha pensamento científico;
  5. Product Discovery nunca acaba.

1) Sempre mantenha o foco nas pessoas usuárias

Esse princípio, na verdade, extende-se para todos os processos e atividades que envolvem UX Design.

Desenvolver produtos que solucionem determinados problemas das pessoas usuárias requer que as coloquemos no foco da discussão e pesquisa.

Com o tempo e experiência, vamos acumulando certos vieses que podem acabar prejudicando a visão mais centrada nas pessoas usuárias. Nesse sentido, é importante sempre ter em mente que nossas opiniões não devem sobrepor pesquisas e qualquer coleta de dados relevante para a construção do produto.

Sempre lembre que UX é sobre Design Centrado no Usuário.

2) Não tenha pressa

Não ter pressa não significa descumprir prazos, ou ser negligente com a gestão do tempo.

Não ter pressa está relacionado com não pular etapas importantes para o processo e segurar a ansiedade para que não haja interferências no resultado final do processo.

Sabemos que o mercado está cada vez mais agressivo e que as empresas não podem perder tempo em lançar produtos de valor para seus clientes. No entanto, pular etapas no processo de Discovery pode custar muito mais caro, podendo prejudicar todo o projeto.

Portanto, estabeleça um cronograma que contemple todas as etapas pertinentes de Product Discovery, prezando pela qualidade de cada uma delas.

3) Falhar é bom

Ninguém gosta de falhar. Mas é importante perceber que o processo de Product Discovery é sobre testar e validar suposições, e a falha é inerente a esse processo.

Lembre-se que desbravar novas possibilidades, procurando novas oportunidades, necessidades e soluções é trabalhar com o desconhecido. Nesse sentido, é mais do que normal colher algumas falhas durante o caminho.

O ponto importante é que falhar permite aprendizado, e Product Discovery é sobre isso. Aprender como as pessoas usuárias se comportam, pensam, agem e esperam solucionar seus problemas.

Não tenha medo de falhar. Aprenda, corrija e continue.

4) Tenha pensamento científico

Ter pensamento científico significa colocar todas as suposições à prova, testar e validá-las.

O pensamento científico é o que dá base para não sermos levados por nossas opiniões ou gostos pessoais.

No processo de Product Discovery, a coleta de informações para investigar problemas e desenvolver soluções há muito espaço para suposições e hipóteses.

Nesse sentido, optar por priorizar, testar e validar cada uma dessas suposições é importante para entender qual melhor caminho seguir ao longo do desenvolvimento do produto.

Dica de Leitura: UX Design é Arte ou Ciência?

5) Product Discovery nunca acaba

Não queremos dizer que a Product Discovery nunca vai chegar ao ponto de dar espaço para as próximas etapas de desenvolvimento do produto.

A questão é que é importante sempre estar em contato com as pessoas usuárias para entender sobre novos contextos, necessidades e obstáculos.

Mesmo quando um produto está pronto, na verdade ele nunca está 100% terminado. Bons times de produto sabem que é importante efetuar atualizações e lançamento de novos recursos, tudo com o objetivo de melhorar a experiência das pessoas usuárias.

Com isso em mente, dizemos que Product Discovery é sempre um processo ativo e que vai dar suporte para novos insights para o aperfeiçoamento de produtos e serviços da empresa.

Product Discovery e Estratégia de Produto

Discovery e Estratégia de Produto

Nesse momento já deu para perceber o quanto o processo de Product Discovery é fundamental para o desenvolvimento de produtos.

Mas apenas para consolidar essa questão, é importante mencionar o quanto que a Discovery faz parte e ajuda na estratégia de marketing e produto da empresa.

De maneira geral, estabelecer a estratégia de produto envolve conhecer os concorrentes, os clientes, pessoas usuárias e entender como se destacar no mercado, explorando oportunidades e diferenciais competitivos.

Todas essas informações são suportadas pelo processo de Product Discovery, uma vez que são feitas pesquisas e coleta de informações em diferentes níveis.

Portanto, Product Discovery e estratégia de produto estão relacionadas ao ponto de uma influenciar os resultados da outra.

Etapas do processo de Product Discovery

Etapas do processo de Product Discovery

Cada time vai desenvolver um modo de trabalho que se adeque ao contexto das pessoas e da empresa da qual faz parte. Nessa conta, devemos levar em consideração a quantidade de membros da equipe e se o ambiente é favorável para metodologias ágeis ou não.

No entanto, existem etapas básicas comuns em todos os processos de Product Discovery, e que são baseadas em métodos de Design Thinking e Double Diamond, como mencionado no começo desse artigo.

Dessa forma, podemos descrever 6 principais etapas que compõem o processo de Discovery:

  1. Alinhamento inicial;
  2. Pesquisa;
  3. Ideação;
  4. Prototipação;
  5. Teste e validação de ideias;
  6. Refinamento.

1) Alinhamento inicial

A primeira fase da Product Discovery diz respeito a um alinhamento geral inicial, na qual são abordadas questões como:

  • Qual o entendimento comum sobre o problema a ser resolvido?
  • Quais os meios entendidos para solucionar o problema?
  • Como desenvolver a confiança entre os stakeholders?

Esse alinhamento inicial, geralmente, acontece na forma de uma reunião de Kick Off e sua duração pode variar de 1 até 2 dias, dependendo da complexidade do projeto.

A ideia desse alinhamento é colocar todas as pessoas envolvidas na mesma página, mapear as visões sobre o problema a ser resolvido e quais as primeiras ideias de solução.

Importante ressaltar que o entendimento do problema não necessariamente é o real problema a ser resolvido. Tudo o que for coletado na reunião de alinhamento inicial são suposições para serem posteriormente validadas ou não.

Dica de Leitura: Investigando Problemas Como UX Designer

2) Pesquisa

A etapa de pesquisa vai coletar diversos dados e informações para, entre outras coisas, validar se as suposições iniciais sobre o problema são verdadeiras ou não.

Por conta disso, a fase de pesquisa é crucial para o sucesso de todo o restante do projeto e deve ser efetuada com cautela e sem pressa (lembra dos princípios do Product Discovery?)

Para ajudar na fase de pesquisa, UX Researchers contam com diversas ferramentas que auxiliam na coleta de informações. As ferramentas podem variar de projeto para projeto, mas as mais comuns são:

  • Mapa de empatia: utilizado para entender as pessoas usuárias e como elas se comportam dado um determinado contexto;
  • Personas: representações semi-fictícias de potenciais pessoas usuárias. Refletem suas principais características, preocupações e necessidades;
  • Entrevistas e Surveys: tipos de pesquisas primárias que ajudam a coletar dados diretamente com as pessoas usuárias;
  • Desk Research: tipo de pesquisa secundária que também visa coletar dados das pessoas usuárias e de pesquisas e análises já existentes sobre o tema.

3) Ideação

Na etapa de ideação, discutem-se ideias que possam solucionar os problemas encontrados e validados na fase de pesquisa.

Os dados, observações e resultados das pesquisas vão dar suporte para que o time consiga pensar em quantas ideias conseguirem.

Nessa etapa, apesar da liberdade criativa e de inovação, é importante saber priorizar e filtrar as possíveis soluções encontradas. Elas estão alinhadas com os objetivos do negócio? Resolvem problemas e são indispensáveis para as pessoas usuárias?

É importante pensar em todos esses aspectos para que o time possa, então, seguir para a próxima etapa.

4) Prototipação

Essa etapa envolve a criação de protótipos das soluções idealizadas e escolhidas pela etapa anterior, de ideação.

É importante colocar que a prototipação também é uma fase de aprendizado. Aqui, as ideias vão ser colocadas à prova e estarão sujeitas à validação ou não.

Portanto, não invista tempo e outros recursos desenvolvendo protótipos de alta qualidade, porque o objetivo não é construir o produto final, mas sim uma versão que permita efetuar testes com as pessoas usuárias e coletar informações e aprendizados.

5) Teste e validação de ideias

Com o protótipo em mãos, é hora de testar e validar as ideias de produto e de soluções para as pessoas usuárias.

Esse é o momento em que há a verificação da parte teórica pesquisada e idealizada até o momento. Portanto, é importante ter atenção e cuidado para que os resultados não estejam enviesados pelo olhar de quem pesquisa.

Nessa etapa, também é importante promover o desapego às ideias e estar pronto para a possibilidade da solução ser invalidada. Nesse caso, o processo iterativo se faz presente e levantamos o princípio escrito mais acima: falhar faz parte do processo e deve ser encarado como um aprendizado.

6) Refinamento

A etapa de refinamento é a última antes de do desenvolvimento efetivo do produto ou solução.

Esse momento é sobre análises dos testes e validação de ideias e identificar se ainda faltam testes a serem feitos ou se é possível passar para a construção de um MVP.

O refinamento é uma etapa crítica pois serve como um último filtro antes de começar a desenvolver o produto. Portanto, é importante estabelecer critérios de validação rigorosos e que evitem grandes erros e falhas nas próximas etapas.

Erros comuns no processo de Product Discovery

Erros comum do processo de PD

Ao longo desse artigo, batemos algumas vezes na tecla de que falhar faz parte do processo de Product Discovery e deve ser encarado como um aprendizado.

No entanto, essas falhas estão mais relacionadas à parte de suposições e validação de ideias, onde existem ainda algumas incertezas. Quando falamos sobre a implementação e gestão do processo de Product Discovery, aí sim, existem erros e falhas que nunca devemos cometer.

1) Não ser centrado nas pessoas usuárias

O primeiro erro pode soar bastante óbvio, mas nem sempre as empresas possuem maturidade em UX o suficiente para ter esses conceitos claros em todos os times.

Se desde o começo, o processo não tiver uma mentalidade voltada para as pessoas usuárias, então o Product Discovery e o desenvolvimento do projeto como um todo terão altas chances de fracasso.

UX Design é sobre Design Centrado no Usuário e todos os processos que envolvem desenvolvimento de produtos devem possuir, obrigatoriamente, uma visão voltada para as pessoas usuárias.

Esse erro pode ser básico, mas é de extrema importância ressaltá-lo.

Dica de Leitura: Como Identificar a Maturidade Em UX Design Das Empresas?

2) Não envolver todo o time nas discussões

A participação de todo o time das discussões é fundamental tanto para o alinhamento do projeto quanto para entender as visões diferentes de cada pessoa e como elas interferem no projeto como um todo.

Por exemplo, envolver os desenvolvedores nas discussões é importante para entender se as ideias propostas são tangíveis do ponto de vista técnico. Nesse exemplo, não adianta ter boas ideias se os desenvolvedores não conseguem escrevê-las no código.

3) Negligenciar a etapa de pesquisa

É comum o sentimento de querer colocar a mão na massa e desenvolver rapidamente o produto ou solução para as pessoas usuárias.

No entanto, negligenciar a etapa de pesquisa é extremamente perigoso para o projeto como um todo.

Começar o desenvolvimento de um produto sem validar as suposições, ou até mesmo entender qual a real necessidade das pessoas usuárias é um tiro no pé.

Por isso, invista tempo em pesquisa para garantir que o desenvolvimento esteja alinhado com as necessidades, tanto do negócio quanto das pessoas usuárias.

if(window.strchfSettings === undefined) window.strchfSettings = {};window.strchfSettings.stats = {url: “https://aela-io.storychief.io/pt/product-discovery-encontrando-problemas-e-solucoes?id=791971051&type=2”,title: “Product Discovery: Encontrando Problemas e Soluções”,id: “6aa280f8-87e7-4053-a27d-291065009b13”};(function(d, s, id) {var js, sjs = d.getElementsByTagName(s)[0];if (d.getElementById(id)) {window.strchf.update(); return;}js = d.createElement(s); js.id = id;js.src = “https://d37oebn0w9ir6a.cloudfront.net/scripts/v0/strchf.js”;js.async = true;sjs.parentNode.insertBefore(js, sjs);}(document, ‘script’, ‘storychief-jssdk’))

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!


Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.