Teste De Usabilidade: 10 Dicas Para Preparar e Conduzir Com Eficiência

Teste de usabilidade é uma ferramenta super importante para entender como o usuário interage com sua interface. Portanto, é crucial saber preparar e conduzir o teste para que ele traga informações relevantes para seu projeto. Confira neste artigo 10 dicas para tonar seu teste de usabilidade mais eficiente!
Teste De Usabilidade: 10 Dicas Para Preparar e Conduzir Com Eficiência

Acredito que a maioria dos UX Designers entendem a importância da aplicação de um teste de usabilidade para avaliar um produto. Afinal de contas, é o usuário que consegue prover informações para que possamos melhorar nossas interfaces.

No entanto, não basta apenas agendar o teste e recrutar um grupo de pessoas para testar o seu produto.

Saber preparar e conduzir o teste de usabilidade são essenciais para que as informações coletadas sejam relevantes e estejam livres de qualquer viés.

Nesse sentido, separamos uma lista com 10 dicas que vão te ajudar na construção do seu teste de usabilidade! Confira!

O que é um teste de usabilidade e por que ele é importante?

Em UX Design, um dos conceitos mais importantes é o de User Centered Design, o qual coloca o usuário ao centro das perspectivas e faz com que esforços sejam voltados para melhorar a sua experiência.

Com isso em mente, devemos sempre nos preocupar se a Jornada do Usuário está adequada e se a interface proporciona a experiência que desejamos.

Dessa forma, o teste de usabilidade é um método de pesquisa que permite aos Designers entender e identificar possíveis oportunidades de melhoria nos produtos e interfaces.

Nesse sentido, os principais objetivos do teste de usabilidade são:

  • entender o comportamento do usuário;
  • identificar problemas no produto;
  • descobrir oportunidades de melhoria.

Sem a utilização do teste de usabilidade fica bastante difícil — para não dizer impossível — desenvolver um produto que atenda as expectativas do usuário. Não dá para confiar apenas no nosso "senso comum", porque, no final do dia, não somos os nossos usuários.

Além disso, testes de usabilidade podem ser implementados a custos baixos — dependendo do tipo do teste — e servem como argumento para justificar qualquer melhoria ou mudança no projeto.

Portanto, para garantir que a interface desenvolvida seja eficiente e que contemple todas as variações de comportamento e pensamento dos usuários, é imprescindível que testes de usabilidade sejam utilizados.

Se você quiser conhecer mais sobre testes de usabilidade, leia nosso artigo:

Dicas para implementar seu teste de usabilidade

Depois de ter entendido a importância do teste de usabilidade, vale a pena dizer que este é um processo que precisa ser conduzido com bastante cautela.

São muitos fatores envolvidos e não se pode subestimar o prejuízo que um teste de usabilidade mal conduzido pode gerar no desenvolvimento da sua interface.

Nesse sentido, separamos algumas dicas que vão te ajudar a tirar o maior proveito do teste de usabilidade com os seus usuários.

1) Faça o planejamento do teste e tenha clareza de qual é seu objetivo

Um bom teste é antecedido por um bom planejamento.

Dessa forma, planeje seu teste contemplando algumas questões básicas como:

  • quem são os participantes do teste;
  • quando você fará o teste — levando em consideração o cronograma do projeto como um todo;
  • como você fará o teste: quais as ferramentas que serão utilizadas.

Além disso, faz parte do planejamento ter bem claro qual é o objetivo do teste. Para isso, procure especificar qual a finalidade pela qual se faz necessário o teste de usabilidade.

Nesse sentido, evite objetivos mais genéricos como: Verificar a Experiência do Usuário.

Ao contrário, coloque detalhes sobre quais informações você precisa coletar e qual o problema que você quer solucionar.

Com essas informações você consegue, enfim, planejar os cenários e as tarefas que os usuários vão precisar efetuar.

Desse modo, não subestime a parte do planejamento. Ele é responsável por grande parte do sucesso ou insucesso do seu teste.

2) Tenha claro qual é a sua persona na hora de recrutar os participantes

Recrutar o perfil de participantes correto é crucial para que o teste de usabilidade traga informações valiosas para o seu projeto.

Caso o seu teste de usabilidade contemple uma interface já existente, o recrutamento se torna mais fácil porque é possível chamar os já então usuários do seu produto.

Por outro lado, se você está trabalhando em um lançamento de produto, a fase de recrutamento precisa ser feita com bastante cautela e pode ser um pouco mais complicada de se realizar.

Neste caso, é preciso que você tenha estudado qual a persona do seu produto ou serviço. Mas tenha em mente que a definição da persona não é algo a ser feito somente na hora do teste de usabilidade. Este conceito deve estar claro já desde o início, sendo uma das primeiras definições a serem feitas no projeto.

Dica de Leitura: Por que a persona é essencial nos projetos de UX Design?

3) 5 usuários para o teste de usabilidade é o suficiente

Os usuários da sua interface tendem a ter comportamentos semelhantes. Isso porque eles devem estar de acordo com a definição de persona do seu produto.

Dessa forma, quanto maior for a quantidade de usuários realizando o teste de usabilidade, menor é a chance de você aprender algo novo sobre a experiência do seu produto.

Isso acontece porque a curva de aprendizado tende a entrar num platô próximo dos 9 usuários.

No entanto, a quantidade ideal para você trabalhar com segurança é de 5 usuários. Com esse número, você tende a encontrar 75% de problemas de usabilidade com a sua interface. Observe o gráfico abaixo:

Portanto, a partir do quinto usuário você começará a observar os mesmo comportamentos e problemas repetidamente.

Dessa forma, o número 5 irá fazer com que você economize tempo e dinheiro durante a aplicação do teste de usabilidade.

4) Escreva um script claro e alinhado com seu objetivo

O script contempla todas as perguntas que você vai fazer para os participantes do teste de usabilidade.

Dessa forma, quando for escrever o script tenha em mente o objetivo do teste e direcione as perguntas para que este objetivo seja atingido.

Além das perguntas, contemple também quais as ações esperadas do usuário para cada tarefa solicitada.

Outra dica importante é ter uma ficha de script por participante, contendo as informações de cada um deles. Dessa forma, os dados colhidos ficam mais organizados e você consegue compreender melhor o fluxo e dificuldades de cada participante separadamente.

5) Grave o teste de usabilidade

Gravar o vídeo do teste é uma maneira interessante de analisar novamente o comportamento do usuário, a forma como ele respondeu as perguntas e como efetuou as tarefas propostas.

Além disso, é possível também analisar o comportamento do facilitador e identificar possíveis pontos de melhoria na aplicação do teste.

Entenda que, no momento do teste, o facilitador tem que ser neutro, sem exercer influência sobre o participante. Além das perguntas terem que estar livre de vieses, o comportamento também tem que ser isento.

Nesse sentido, observar como você se comporta ao direcionar as perguntas e tarefas ao usuário faz com que você se aperfeiçoe cada vez mais na sua neutralidade.

Não se esqueça de pegar o consenso do participante para efetuar a gravação do teste. Caso ele não concorde, então você não deverá gravar essa sessão.

Dica de Leitura: Saiba como despertar a confiança do seu usuário

6) Preste atenção em como formular as perguntas no script

Se até o seu comportamento durante o teste de usabilidade precisa ser isento de influências, as perguntas que você formula também precisam ser.

Nesse sentido, crie perguntas claras e concisas e, ao mesmo tempo, detalhadas e livres de viés.

Mais detalhes costumam deixar a pergunta com mais clareza:

  • "Faça o login";
  • "Faça o login utilizando seu email do Gmail ou do Facebook".

Mas, ao mesmo tempo, detalhes demais podem influenciar as ações do usuário:

  • "Agora, utilize o campo de busca que está no canto inferior direito da interface, ao lado do botão de Logout, e efetue uma pesquisa de produto";
  • "Agora, faça uma pesquisa para encontrar uma camiseta de time de sua preferência".

Perceba como detalhes excessivos podem fazer com que as ações do usuário não sejam legítimas. No exemplo acima, provavelmente ele não encontraria o campo de busca, não fossem as instruções do facilitador. Dessa forma, um erro de usabilidade não seria identificado.

Portanto, escrever as perguntas e ações do teste de usabilidade é uma tarefa que precisa ser feita e revisada diversas vezes para que se consiga excluir todos os vieses do script.

7) Solicite tarefas simples para o usuário

Em um teste de usabilidade, muitas vezes precisamos verificar um fluxo completo de experiência do usuário. Seja uma jornada de compra ou testar algumas funcionalidades da interface.

No entanto, ao solicitar as tarefas para o usuário, quebre o fluxo complexo em tarefas mais simples.

Ao invés de pedir para que o usuário:

  • Crie um login, comece um fluxo de projeto novo e depois convite os membros da sua equipe.

Quebre em pequenas ações:

  1. Faça o login usando seu usuário do google;
  2. Comece um workflow de projeto;
  3. Convide os membros do seu time via e-mail.

Dessa forma, o usuário conseguirá completar as tarefas sem pressão e com menos dúvidas.

8) Teste o teste

Para garantir que o teste esteja pronto para ser aplicado, efetue um teste de usabilidade piloto com membros da equipe.

Dessa forma, você conseguirá captar insights que vão te ajudar a melhorar o script do seu teste.

Além disso, familiarize-se com as tecnologias que serão utilizadas no teste.

Caso o teste seja remoto, por exemplo, garanta que o programa que o usuário irá utilizar está funcionando bem e que você saiba utilizá-lo também.

Claro, é importante também que você conheça bem o produto eu será testado.

Faça esses deveres de casa para não passar dificuldades na hora do teste real.

Dica de Leitura: O que você precisa saber sobre Protótipos?

9) Leve em consideração seu orçamento

Em um primeiro momento, é normal querer usar todos os métodos e ferramentas possíveis para tirar o maior proveito dos testes com os usuários.

No entanto, existe algo que limita essa liberdade: orçamento.

Quase nunca iremos conseguir a quantidade de dinheiro necessária para efetuar um projeto da maneira que queremos. Portanto, uma das primeiras coisas que você precisa tomar conhecimento é da quantidade de orçamento disponível para o seu teste de usabilidade.

A partir disso, você conseguirá dimensionar aonde gastar mais e aonde gastar menos, sempre levando em consideração a relação custo-benefício.

10) Teste A/B não é teste de usabilidade

É bastante comum confundir teste de usabilidade com teste A/B.

A diferença primordial é que o teste A/B proporciona perguntas binárias com o objetivo de identificar qual versão de um feature gera mais conversão do que outro.

O teste de usabilidade, no entanto, analisa informações comportamentais do usuário e consegue reconhecer outras dificuldades e outros problemas da interface.

Dessa forma, não cometa o erro de utilizar o teste A/B como teste de usabilidade. Esses dois tipos de pesquisa não são substituíveis um pelo outro, são complementares.

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.