Conheça 9 Erros De Usabilidade e Saiba Como Evitá-los

Certos erros de usabilidade são mais comuns do que podemos imaginar. Nesse sentido, o UX Designer precisa saber identificar e evitá-los, para melhorar a qualidade do seu trabalho. Confira, neste artigo, quais são os 9 erros mais comuns e aprenda a não cometê-los!
Conheça 9 Erros De Usabilidade e Saiba Como Evitá-los

A usabilidade é um conceito bastante importante e que está intimamente ligado ao UX Design.

Em uma época em que as interfaces digitais estão dominando o mercado e a inclusão digital é bastante importante. Quais são os erros que os designers não devem cometer em suas interfaces, falando em usabilidade?

Confira neste artigo, quais os principais erros que você não deve cometer em seus projetos de UX Design!

O que é e qual a importância da usabilidade?

Segundo a Nielsen Norman Group — consultoria em experiência do usuário, fundada por Jakob Nielsen e Don Norman — usabilidade é:

Um atributo de qualidade que avalia o quanto as interfaces do usuário são fáceis de usar

Nesse sentido, quando falamos em "facilidade" também devemos incluir o aspecto funcional. Não adianta desenvolver uma interface fácil de navegar, mas que não atende às necessidades do usuário, ou seja, que não entrega valor.

Portanto, a falta da usabilidade pode fazer com o que um usuário:

  • nunca mais retorne ao seu site;
  • não mais efetue uma compra em seu e-commerce;
  • exclua seu aplicativo do celular;
  • tenha um sentimento negativo a respeito da marca.

Dessa forma, é importante prestar atenção aos erros mais comuns de usabilidade para que a sua interface nem a experiência do usuário sejam prejudicadas.

Quais os erros de usabilidade mais comuns?

Pode ser um pouco complicado falar sobre erros em usabilidade porque cada interface possui suas peculiaridades e não há exatamente uma fórmula mágica para desenvolver produtos perfeitos.

No entanto, alguns erros possuem características em comum e, portanto, é possível identificá-los com mais facilidade. Confira a lista:

1) Inconsistência nos elementos da interface

Você já navegou por uma interface cujas fontes, cores e ícones variavam durante a experiência?

A falta de consistência da interface é um dos erros mais comuns e mais prejudiciais para a experiência do usuário.

Nesse sentido, o profissional de UX Design precisa garantir que os elementos da interface estão concisos, padronizados e consistentes. Para isso, o ideal é utilizar ferramentas de padronização que auxiliam na consistência da interface.

Para evitar inconsistências, você pode prestar atenção nas seguintes questões:

  • Paleta de cores para botões, textos, links, cabeçalho, rodapés do mesmo padrão;
  • Estilo de fontes para títulos, parágrafos, links seguindo o mesmo estilo;
  • Usar cantos no mesmo estilo, arredondado ou quadrado;
  • Utilizar uma espessura consistente da linha para ícones, divisores, entre outros.

Caso haja a necessidade de um elemento fugir dos padrões, é importante se tenha um bom motivo para isso acontecer.

Dica de Leitura: Padronização em UI – Design de interfaces consistentes

2) Falta de hierarquia entre as ações primárias e secundárias

O usuário, na sua jornada, efetua diversas ações durante a interação com a interface. Nesse sentido, podemos classificar essas ações em: primárias e secundárias.

As ações primárias são aquelas que inevitavelmente os usuários terão que fazer. Um exemplo seria uma interface onde deve-se colocar login e senha para prosseguir. Já as atividades secundárias são aquelas que não são necessárias, como um botão de "esqueci minha senha", naquela mesma interface de login e senha, por exemplo.

Por isso, é absolutamente importante que haja a distinção entre elementos de ação primária das demais. Isso ajudará o usuário a navegar de forma mais fácil e intuitiva.

Nesse sentido, utilize os conceitos de hierarquia em UI para definir a importância e diferenciar elementos de ação primária dos de ação secundária.

Dica de Leitura: Hierarquia Visual em UI – Como Destacar o Que Precisa Ser Destacado?

3) Formulários mal elaborados ou confusos

Os formulários são elementos essenciais para garantir uma boa usabilidade, seja no começo, no meio ou no final da jornada do usuário.

Além de componentes essenciais em pontos de comunicação de um site, também são usados para colher dados, fazer login, entre outras ações importantes.

Nesse sentido, desenvolver formulários bem estruturados e claros é importante para que o usuário tenha uma boa experiência em sua interface.

Dessa forma, evite usar apenas cores para indicar erros de preenchimento do formulário. Se possível, coloque uma mensagem mostrando qual foi o erro cometido.

Também evite formulários muito longos. Caso seja necessário, considere dividi-lo em blocos ou seções lógicas, e mostre uma barra de progresso, quando possível. Assim, o usuário saberá exatamente em qual etapa está.

4) Touchpoints pequenos para celular ou tablet

Touchpoints pequenos se referem àqueles botões minúsculos difíceis de apertar e que sempre nos fazem clicar onde não queremos. Você já vivenciou algo assim, não é?

Não há nada mais frustrante do que preencher um formulário e ficar travado no momento do envio. Ou ainda, clicar em um botão errado e perder o que estávamos fazendo.

Portanto, quando você projetar elementos clicáveis pense: seres humanos possuem dedos de tamanhos diferentes. Para se ter uma base a largura média de um dedo indicador é de 1,6 a 2 cm.

Então, faça o alvo de toque com pelo menos 45 a 57 pixels de largura. Isso dará mais espaço para o usuário atingir o alvo sem a necessidade de se preocupar com a precisão.

A NN/g possui uma regra para essa margem de segurança: 1cm x 1cm. Ou seja, utilizando-se dessa regra é possível garantir que todos os usuários tenham a mesma experiência positiva.

É claro que essa regra da NN/g não tem que ser seguida a ferro e fogo. O próprio Google e a Apple possuem especificações diferentes para suas interfaces.

O importante é garantir que o usuário não tenha dificuldades em clicar nos botões ou em qualquer outro elemento da sua interface.

5) Feedback ruim ou ausente

O feedback de uma interface está relacionado às respostas para as ações do usuário. Se ele clica em um botão, o fedbback deve garantir que ele entenda que a ação foi bem ou mal sucedida.

Feedbacks simples já podem garantir uma melhor usabilidade em seus projetos. Utilize mensagens, cores, motion, para comunicar o usuário sobre o sucesso de suas ações.

Portanto, é importante garantir que o usuário não fique confuso, sem saber o que fazer ou se a ação efetuada deu certo ou não.

6) Confusão e inconsistência de comandos

As consistências estão bastante relacionadas à padronização porque também ajudam a reduzir a carga cognitiva do usuário.

Nesse sentido, a consistência proporciona uma experiência melhor justamente porque o usuário não precisa ficar aprendendo diversas vezes a como navegar na mesma interface, em páginas diferentes.

Portanto, evite alguns tipos de inconsistência que podem confundir o usuário, como:

  • Controles parecidos mas que servem para propósitos diferentes;
  • Colocar controle para o mesmo recurso em lugares diferentes;
  • Palavras ou comandos diferentes para a mesma ação;
  • Elementos ou controle de interface do usuário que se movimentam, violando assim a consistência espacial.

Dica de Leitura: Cores em UI – Um Guia Rápido Para Usar em Seus Projetos

7) Mensagens incorretas de erros

Ocorreu um erro, tente novamente.

Nada pode ser mais frustrante do que receber uma mensagem como essa e não saber como agir. Afinal, qual foi o motivo do erro? O que é preciso fazer para não cometer o mesmo erro?

Com o avanço dos aplicativos móveis, esse tipo de mensagem acabou se tornando mais comum. E, com certeza, se o usuário tentar a mesma ação por duas ou três vezes e cair no mesmo erro, ele certamente vai desistir de continuar.

Portanto, colocar um feedback claro nas mensagens de erro é crucial para garantir a usabilidade do site, aplicativo ou software.

8) Ícones não rotulados

O Design de Ícones é algo bastante comum, principalmente nas interfaces digitais menores, como em celulares ou tablets.

No entanto, é importante tomar cuidado porque nem sempre o ícone e sua ação são fáceis de serem associados.

Nesse sentido, é importante que haja o rótulos que ajudem o usuário a entender para qual ação aquele ícone se refere.

Além disso, a rotulação do ícone traz outros benefícios na navegabilidade e na experiência do usuário, pois:

  • Ele aumenta o tamanho do alvo, proporcionando maior área para clique;
  • Diminui o tempo para reconhecer o comando;
  • Ajuda o usuário a diferenciar visualmente vários comandos próximos uns dos outros.

Rotular os ícones também facilita o aprendizado da interface porque estabelece associações com o mesmo comando.

9) Proximidade de ações destrutivas e de confirmação

Colocar botões de salvamento e exclusão um ao lado do outro, proporciona um grande risco para o usuário.

Embora possa parecer lógico colocar duas opções opostas perto uma da outra, a proximidade facilita o erro do usuário. E se o usuário erra nessa ação, a frustração é enorme e a experiência e usabilidade se tornam péssimas.

Portanto, evite dispor elementos que possam induzir o usuário ao erro.

Como evitar esses erros de usabilidade?

Em primeiro lugar, é importante que você conheça bem a persona e o usuário da sua interface.

Saiba como ele interage com o produto, qual a sua jornada, facilidades e dificuldades com tecnologia, aplicativos e etc.

Além disso, faça testes de usabilidade para verificar as dificuldades e erros que podem existir na sua interface. Essa etapa é bastante importante e garante vários insights essenciais para melhorar a usabilidade da sua interface.

Por fim, utilize-se da máxima: Você não é o seu usuário.

Ou seja, não tome decisões baseadas nas suas percepções e opiniões pessoais. Baseie seu projeto em pesquisas e dados para que, dessa forma, a construção da sua interface proporcione a melhor experiência para o seu usuário.

Dica de Leitura: Leis de UX – Os Princípios Básicos de UX Design

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.