Brainstorming: Técnicas Para Destravar Suas Ideias

Ficar sem ideias ou buscar discussões para resolver um problema é uma situação que já deve ter acontecido com a maioria das pessoas. Nesse sentido, é normal utilizarmos uma ferramenta bastante famosa: o brainstorming. No entanto, não basta sentar e esperar para as ideias surgirem. Existem diversas técnicas que te ajudam a destravar a criatividade para poder tornar o processo mais eficiente.
Brainstorming: Técnicas Para Destravar Suas Ideias

É mais um dia normal na sua rotina de Designer. Você chega no escritório, cumprimenta todos e busca um café.

Na volta, seu chefe te recruta para participar de uma sessão de brainstorming para ajudar a solucionar um problema de um projeto. Você prontamente atende, claro.

Chegando na sala, você encontra mais alguns recrutados e então seu chefe solta a máxima: "Beleza pessoal, vamos começar o brainstorming. Digam as suas ideias".

Obviamente, com essa abordagem, todos ficam calados ou com poucas ideias e todo o processo se mostra bastante ineficiente. Mas por que isso acontece?

Talvez o brainstorming seja uma das ferramentas mais conhecidas por todos. No entanto, existem algumas técnicas que ajudam a destravar a criatividade e incentivam os participantes a terem mais ideias.

Neste artigo, vamos mostrar algumas dessas técnicas que irão te ajudar a tornar todo processo de brainstorming mais produtivo!

Dica de Leitura: Por que a curiosidade é importante na vida do UX Designer?

O que é Brainstorming?

Brainstorming é uma ferramenta utilizada para criar ideias e soluções para a resolução de um problema previamente anunciado.

Dessa forma, e ao contrário do que pode se pensar, o brainstorming não é a consequência de uma reunião de pessoas para compartilhar ideias.

Na verdade, o brainstorming é um instrumento que cumpre um objetivo e deve ser conduzido de maneira a atingi-lo. Seja este a simples discussão de uma ideia ou a criação de uma solução para resolver um problema de negócio.

Portanto, esta ferramenta deve ser utilizada com critérios e métodos que visam extrair o o melhor da inspiração dos participantes.

Apesar de ser usada principalmente em processos criativos, o brainstorming pode ser usado por qualquer área, de qualquer empresa e mercado.

Brainstorming e UX Design

O brainstorming e o UX Design têm uma relação bastante íntima, por assim dizer.

A ferramenta é muito utilizada em outros métodos, já comuns, como o Design Thinking e o Design Sprint, por exemplo.

Por ser uma área preocupada em encontrar e estabelecer as melhores experiências para o usuário, a utilização do brainstorming em UX Design é praticamente uma regra.

Com este processo, as equipes conseguem encontrar ideias para solucionar problemas de clientes, dos produtos ou dos próprios usuários.

Dessa maneira, é importante que os Designers conheçam essa ferramenta e a sua capacidade, bem como saibam usar as técnicas para conduzir uma equipe através desse processo.

Por que usar o Brainstorming?

Em uma situação onde é preciso encontrar ideias e soluções, o brainstorming oferece um ambiente livre de julgamentos para que se possa explorar todas as experiências dos participantes.

Essa amálgama de ideias traz bastante riqueza na construção de resoluções.

O brainstorming também encoraja a participação de todos, mesmo dos mais introvertidos, extraindo o máximo de ideias e pontos de vista diferentes.

Quanto mais diverso o time, melhor o resultado do processo.

Além disso, outras vantagens podem ser listadas, tais quais:

  • Melhorar a colaboração e o trabalho de equipe;
  • Solucionar problemas difíceis;
  • Expandir seu portfólio de ideias e alternativas;
  • Estar em contato com visões diferentes;
  • Rapidez na resolução de problemas.

Dica de Leitura: O Que é Empatia e Por Que é Importante Em UX Design?

Como utilizar o Brainstorming?

No geral, o processo para gerar ideias não é complexo e pode ser resumido em 3 grandes etapas:

  1. Reúna um grupo de pessoas para discutir um problema;
  2. Oriente as pessoas para criar ideias, sem importar o quão estranho possa parecer;
  3. Reveja as ideias, escolha as mais interessantes e trabalhe em cima dela.

No entanto, existem algumas "regras de ouro" que facilitam o processo como um todo. São elas:

  1. Estabeleça um limite de tempo de acordo com a complexidade do problema a ser resolvido;
  2. Comunique todos os participantes sobre o objetivo e o problema que deve ser resolvido;
  3. Não permita julgamentos ou pensamentos negativos sobre as ideias alheias;
  4. Ponha foco na quantidade de ideias;
  5. Encoraje ideias a partir de outras ideias;
  6. Encoraje ideias consideradas "ridículas"ou "malucas";
  7. Mantenha o processo visual. Utilize quadros, post its e adesivos;
  8. Não deixe que os participantes percam o foco.

Mesmo com essas regras, é comum sentir dificuldade em gerar ideias a partir do nada. Nesse sentido, existem alguns tipos de brainstorming com técnicas mais específicas e diferentes que podem ajudar a destravar as ideias da cabeça.

Tipos de Brainstorming

Os tipos de brainstorming trazem diferentes abordagens para se conseguir extrair o máximo de ideias dos participantes. Alguns dos tipos mais comuns são:

  • Analítico;
  • Silencioso;
  • Role Play;
  • Criativo.

Cada um desses tipos possui técnicas diferentes de brainstorming abaixo deles. Abaixo temos mais detalhes sobre cada um delas.

Analítico

O brainstorming analítico utiliza técnicas que trabalham com a geração de ideias a partir da capacidade analítica das pessoas.

No geral, nos sentimos mais confortáveis quando nos pedem para analisar algo, do que para ter ideias.

Nesse sentido, algumas das técnicas mais utilizadas nesse tipo são:

1) Mapa Mental (Mind Mapping)

Escreva o seu problema ou desafio e peça para que os participantes descrevam questões relacionadas à eles e, depois, mais questões relacionadas às anteriores.

Em seguida, coloque graficamente todas as respostas dessa análise, formando um modelo de mapa mental.

O objetivo dessa técnica é mapear situações parecidas e entender como elas se relacionam até criar ou resolver o problema.

Esta técnica é tão utilizada que existem até aplicativos que facilitam a construção visual dos mapas mentais como o Miro.

2) Brainstorming Reverso

Como o próprio nome já sugere, esta técnica busca causas ao invés de soluções.

Em um processo normal de brainstorming, temos a tendência de identificar ideias de solução para um determinado problema.

A proposta do processo reverso é perguntar o que está causando o problema.

Dessa forma, com hipóteses formuladas sobre as causas, fica mais fácil identificar quais são as possíveis soluções para resolver o problema.

3) Gap Filling

Esta técnica consiste em estabelecer um caminho entre um ponto e outro.

Nesse sentido, descreva a situação atual e a situação até onde se quer chegar. Em seguida, peça para os participantes preencherem este caminho com ideias que contribuam para alcançar a situação futura.

O objetivo dessa técnica é conseguir traçar e listar tarefas menores para que, ao serem cumpridas, o destino seja atingido.

4) Análise SWOT

Uma das técnicas mais conhecidas dentro das empresas. Seu objetivo é mapear quais são as:

  • Forças (Strenghts);
  • Fraquezas (Weakness);
  • Oportunidades (Opportunities);
  • Ameaças (Threats).

Geralmente esta técnica é utilizada para entender a viabilidade de um projeto, seja um produto ou até mesmo uma nova empresa.

5) Os 5 por quês (The Five Whys)

Outra técnica bastante conhecida, ela foi desenvolvida por Sakichi Toyoda.

A técnica consiste em estabelecer o problema e fazer a pergunta "Por que?" 5 vezes seguidas, ou quantas forem necessárias, para identificar o problema.

Por exemplo:

  • A meta do mês não foi batida (problema);
  • Por que? (1)
  • A receita do produto está baixa (problema);
  • Por que? (2)
  • Porque taxa de conversão do app está baixa;
  • Por que? (3)
  • Porque os usuários não estão clicando no botão;
  • Por que? (4)
  • Porque o botão não está visível;
  • Por que? (5)
  • Porque não fizemos testes com os usuários.

Geralmente com 5 repetições já é possível entender a causa do problema. Mas o processo pode ir se aprofundando cada vez mais.

Dica de Leitura: Business Design e por que é importante é saber sobre negócios.

6) Starbursting

Esta técnica de brainstorming também é baseada em estabelecer perguntas para encontrar soluções e ideias.

Nesse sentido, ao elencar o problema você faz perguntas baseadas nas seguintes palavras:

  • quem (who);
  • o que (what);
  • onde (where);
  • quando (when);
  • por que (why);
  • como (how).

Por exemplo: Quem são os nossos usuários? Onde eles compram o produto? Quando eles utilizam tal recurso?

Assim, a sua equipe consegue gerar discussões a partir desses questionamentos.

Silencioso (quiet)

Existem alguns casos em que os participantes estão fisicamente distantes, ou com falta de tempo na agenda, e isso impossibilita um encontro físico para efetuar o processo de brainstorming.

Nesses casos, uma técnica que pode ser utilizada é a do Quiet Brainstorming.

Com essas técnicas é possível criar ideias em conjunto sem a necessidade da presença física. Alguns exemplos mais comuns são:

1) Online Brainstorming

Como o próprio nome sugere, essa técnica consiste em utilizar programas online que possibilitam aos participantes gerar ideias separadamente.

Em seguida, o moderador junta todas as ideias e cria uma discussão em cima delas.

Dessa forma, até mesmo os mais introvertidos consegue participar tranquilamente, pois há a possibilidade da participação anônima.

2) Brainwriting

Esta técnica de brainstorming é utilizada em equipes cujos participantes têm dificuldade de expor suas ideias frente aos demais.

Nesse sentido, no Brainwriting, os participantes escrevem suas ideias no papel os quais, em seguida, são redistribuídos aleatoriamente pelo grupo.

Dessa forma, é possível discutir as ideias geradas sem que as pessoas se exponham ou se sintam incomodadas.

Dica de Leitura: Como usar o sistema de Grids em Designs Responsivos?

3) Brainwriting Colaborativo

O Brainwriting Colaborativo é uma extensão do Brainwriting regular.

Nesta versão, o problema ou a pergunta são escritos em um papel de maior tamanho. Em seguida, este é colocado em uma área comum da empresa, onde possa ser visto pelo maior número de pessoas possível.

Dessa forma, diferentes pessoas, em diferentes momentos podem deixar a sua ideia de solução sobre o problema estabelecido.

Para esta técnica, é importante lembrar de estabelecer um prazo para que as ideias sejam inseridas no papel.

Role Play Brainstorming

Outro tipo de brainstorming bastante interessante é o Role Play.

Este consiste em encenar papéis para obter insights e estabelecer premissas e hipóteses sobre seu problema.

Nesse sentido, por exemplo, pode-se atribuir a algumas pessoas do grupo o papel de usuário, a outros de fornecedores e a outros de stakeholders.

Dessa forma, usando-se da empatia, os participantes se colocam no lugar dos outros para gerar ideias e discussões.

Outra maneira de utilizar essa técnica, ao invés de definir papéis, é criar discussões baseadas em cima da pergunta: O que outra pessoa faria nessa situação?

Com isso, as pessoas são encorajadas a pensar diferente do que normalmente o fariam.

Criativo (radically creative)

Há situações onde o grupo parece não conseguir sair do bloqueio de ideias, ou há falta de ideias mais disruptivas.

Quando isso acontece, é possível utilizar o Radically Creative Brainstorming, o qual utiliza técnicas que podem ajudar a destravar as ideias do time.

1) Charrete

A técnica de charrete é geralmente utilizada quando o processo de brainstorming envolve um grupo bastante grande.

Nesses casos, separe os participantes em pequenos grupos e quebre o problema em pequenas perguntas, fornecendo uma por grupo.

Em seguida, incentive os grupos a criar ideias sobre o problema proposto. Cronometre alguns minutos e, na sequência, troque os problemas de grupo. Nessa segunda rodada, os grupos deverão construir ideias baseadas nas anteriores.

Dessa forma, os problemas são discutidos diversas vezes e o portfólio de ideias fica mais consistente.

2) "E se…"

O "E se…" brainstorming é outra técnica que ajuda a destravar as ideias e a extrapolar o pensamento criativo da equipe.

Frente ao problema, os participantes começam a criar questões "E se…" para criar novas perspectivas e ideias.

  • E se esse problema tivesse acontecido 50 anos atrás?
  • E se o Batman pudesse resolver essa questão?

A proposta é realmente é ultrapassar os limites da criatividade, portanto não há necessidade de filtros para as perguntas.

Dica de Leitura: Como a Tipografia Contribui em UX?

Brainstorming individual é possível?

Vimos até agora diferentes tipos de brainstorming que, usualmente, são utilizados de forma colaborativa, com mais pessoas.

No entanto, será que é possível efetuar o processo de forma individual?

Oferecendo uma resposta curta e direta, diremos que sim. É possível. Mas é preciso tomar cuidado com qual problema que estará ao centro da sua ideação.

A eficiência do processo individual acontece frente à problemas mais simples. Quando há um grande desafio envolvido, o mais indicado é utilizar a ferramenta de forma coletiva.

Além disso, trabalhar sozinho não te coloca em contato com experiências e pontos de vista diferentes que, muitas vezes, fazem a diferença no desenho de uma resolução.

Principais cuidados com o processo de Brainstorming

O brainstorming é uma ferramenta bastante eficiente para a discussão de problemas e criação de ideias e soluções.

No entanto, é preciso saber usá-la para conseguir retirar maior proveito dessa ferramenta.

Duas principais dificuldades são:

  • Conseguir a participação de todos — incluindo dos introvertidos;
  • Os participantes manterem o foco no problema a ser resolvido.

Dessa forma, é importante que haja sempre um moderador que facilite os exercícios e garanta que o brainstorming consiga ser realmente produtivo.

No mais, não limite o brainstorming apenas ao processo de Design. Você pode utilizá-lo em diferentes situações e projetos. É uma ferramenta que pode ser usada para qualquer tipo de discussão e resolução de problemas.

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.