Ter Foco Foi Essencial Para Conseguir Migrar Para UX – Entrevista com Ana Luisa

Ana Luisa é aluna do MID e nos conta como conseguiu migrar para UX Design! Confira este bate-papo inspirador!

Nesta entrevista, a aluna do Bootcamp MID Ana Luisa Risério nos conta a sua trajetória de migração para UX Design, vindo da Publicidade e Marketing.

No começo, Ana Luisa teve dificuldades em se organizar e dar foco aos estudos. Mas uma conversa com nosso mentor Felipe Melo foi a virada de chave para que ela fizesse as mudanças necessárias e conseguisse migrar para UX Design!

Além disso, Ana nos conta um pouco sobre como é sua rotina de trabalho na sua primeira oportunidade, em uma Startup! Não perca esse bate-papo!

Ana, conta um pouco sobre você!

Meu nome é Ana Luisa, eu tenho 35 anos e sou formada em Publicidade e Propaganda; fiz uma pós-graduação em Marketing e trabalhei nessa área por 10 anos.

Eu resolvi fazer a migração para UX Design em 2019.

Quando ouvi falar em UX, comecei a pesquisar sobre a área e acabei conhecendo a Aela e o MID.

Apesar disso, eu só comecei realmente a estudar em 2020.

Em tempo: O que é o MID?

O que te atraiu em UX Design que fez com que você tivesse a vontade de migrar para a área?

Nos últimos dois anos, antes de migrar, eu trabalhava com Marketing Digital e acabava atuando um pouco como designer também. Eu sempre gostei de trabalhar com design, embora essa nunca tenha sido minha função principal.

Por conta disso, eu pesquisava muito sobre design. Buscava tutoriais para desenvolver algumas artes, edição e produção de vídeo também.

Em uma dessas pesquisas, acabei encontrando artigos sobre UX Design.

Até então eu nunca tinha ouvido falar na área.

Lendo um pouco mais sobre o assunto, percebi que UX tinha bastante afinidade com tecnologia, uma área que gosto muito também.

Foi aí que comecei a achar que UX fosse uma área com a qual eu me identificasse mais do que com marketing.

Eu gostava de marketing, mas acho que eu já estava um pouco cansada e não estava me sentindo plenamente satisfeita na área.

Pesquisando mais sobre UX, encontrei a Aela e o MID; assisti algumas entrevistas com os alunos e decidi que eu gostaria de migrar para essa área!

Portfólio de UX Design de Ana Luisa Risério
Portfólio Ana Luisa

Teve algo específico que fizesse você ter certeza que queria migrar para UX?

Eu acho que teve um momento: a pandemia.

Antes disso, eu estava trabalhando e tentando estudar ao mesmo tempo. Mas eu não sabia por onde começar; eu pegava muitos materiais soltos na internet.

Quando a pandemia explodiu, eu comecei a trabalhar Home Office e achei que conseguiria conciliar melhor as coisas.

Mas, infelizmente, mesmo assim, eu não conseguia estabelecer um horário de término do meu trabalho regular. Eu tinha muita demanda e ficava difícil me organizar dessa forma.

Então eu parei, pensei e decidi que aquele momento era o momento. Pedi demissão do trabalho para conseguir ficar em casa só estudando e comecei o MID no inicio de julho de 2020.

Como que você fez para manter o foco durante a pandemia?

No começo foi bem difícil!

Como eu pedi demissão, eu senti que tinha todo o tempo do mundo e isso acabou me deixando com dificuldades em focar nos estudos de UX Design. Eu tinha muito tempo livre e foi difícil manter a disciplina.

Eu pegava diversos materiais fora do MID para estudar, e percebi que isso fazia eu evoluir muito devagar, na verdade.

Quando comecei a focar mais no curso, seguir as aulas direitinho, eu comecei a avançar e me senti mais organizada com os estudos.

Tentar estudar diversos materiais só me deixou mais perdida e desorganizada.

Dica de Leitura: Migrar para UX Design – 10 Passos Iniciais

O que você fez para ter mais disciplina e voltar a ter foco nos estudos de UX Design?

Eu comecei construindo um cronograma. Fiz uma planilha para acompanhar como a minha evolução nos estudos estava acontecendo.

Como eu havia pedido demissão, o fator tempo era crucial. Eu precisava atingir meus objetivos mais rapidamente.

Em dezembro de 2020, eu tive uma mentoria com você, Felipe, e você me perguntou quais eram os meus planos para os próximos meses e para o próximo ano.

Eu fiquei pensando e entendi que precisava fazer mudanças se eu quisesse realmente atingir as metas que eu havia estabelecido.

Meu plano era começar a procurar por oportunidades em UX no começo de 2021, então, pra conseguir cumprir esse objetivo, eu precisava ter mais foco.

Depois da nossa conversa, consegui mudar bastante a minha organização e foco! Consegui também ajustar o meu LinkedIn! Foi uma virada, pra mim!

Portfólio Ana Luisa Risério
Portfólio Ana Luisa

Quais as diferenças entre criar para Marketing Digital e para UX Design? Como foi pra você essa mudança?

Eu tive um pouco de dificuldade!

As criações que eu fazia em marketing eram para o meio digital, para sites e redes sociais. Mas não tinha nada de interface ou UX!

Algo que mudou a minha perspectiva foi ter que me colocar no lugar do usuário.

Meu objetivo como marketing era gerar impacto e engajamento; eu não estava pensando na experiência como um todo.

Então, essa mudança foi bem significativa pra mim.

Além disso, antes de entrar no MID, eu achei que usaria as mesmas ferramentas, como Photoshop, por exemplo.

Mas depois eu percebi que não! Não uso nada disso praticamente!

Então, acho que as maiores mudanças foram nesse sentido, começar a pensar na experiência e não só criar telas bonitas, e me acostumar com outras ferramentas.

Dica de Leitura: O Que é Design Centrado no Usuário e Como Aplicá-lo no Dia a Dia?

Como que foi o momento de procurar vagas em UX Design?

Acho que meu processo de conseguir a primeira vaga em UX foi um pouco fora da curva.

No MID, coincidentemente, o mentor que analisou todos os meus 3 projetos iniciais foi o Rick.

Em um dado momento, ele veio até mim e perguntou se eu estava trabalhando, se eu tinha um portfólio e se havia o interesse de me indicar para uma vaga.

Respondi que sim! Mas naquele momento eu ainda iria começar a montar meu portfólio. Como vocês dizem no curso, o ideal é ter 3 projetos para começar um portfólio; e eu tinha acabado de entregar o 3º trabalho!

Disse para o Rick que eu tinha interesse, mas ainda tinha algumas dúvidas se eu estava realmente pronta para começar uma área nova, um pouco da síndrome do impostor, sabe?

Montei meu portfólio e mandei para ele.

Depois de uns 20 dias ele conversou comigo e disse que havia uma vaga em um startup na qual ele estava prestando consultoria e perguntou se eu tinha interesse.

Eu disse que sim, desde que ele achasse que eu daria conta do recado!

O Rick me indicou e a recrutadora entrou em contato comigo. Foi até engraçado porque ela me disse que estava fazendo um curso de UX também, porque gostava da área.

Ela adorou os meus trabalhos e me encaminhou para uma conversa com a Head de produto, que também tinha migrado para UX; ela era produtora de cinema!

Conversamos e acabou dando tudo certo.

Ela fez várias perguntas sobre o curso que eu estava fazendo, já que eu não tinha experiência profissional na área. Ela me perguntou qual era o escopo de estudo, o que eu já tinha estudado e quais eram os materiais.

Além disso, ela fez algumas perguntas sobre entrevista com usuários e sobre prototipação.

Ela gostou bastante e acabei iniciando na vaga em fevereiro!

Por todo esse processo, digo que talvez meu caso seja bem fora da curva. Porque eu não estava procurando, e na primeira entrevista acabei conseguindo migrar!

Portfólio em UX Design Ana Luisa Risério
Portfólio Ana Luisa

Como que está sendo trabalhar com UX?

É muito bom! Acho também que tem o fato de ter começado com as melhores condições possíveis.

O Rick [mentor] era consultor lá, então ele se colocou à disposição para conversar comigo caso eu precisasse de ajuda e acabamos marcando alguns horários para falar.

A equipe é muito legal e pra mim foi tudo novidade. Eu não estava acostumada com as ferramentas e softwares que eles usavam lá, mas no final acabou dando tudo certo.

Eu gosto muito de lá e trabalhar em um startup também é uma novidade pra mim. No MID, algumas aulas abordavam um pouco sobre startup, mas eu nunca pensei que eu pudesse trabalhar em uma, ainda mais na primeira oportunidade.

Mas está sendo muito legal e estou gostando muito de trabalhar lá!

Dica de Leitura: 11 Medos Que Te Impedem De Migrar Para UX Design

O que você encontrou no cenário de startup que fez você se encantar?

Startup tem um pouco de adaptação o tempo inteiro. A gente trabalha com cenários que mudam bastante, então a mudança é uma constante!

Tem sido muito interessante porque, por exemplo, a equipe de produto sou eu e a Product Manager. Não tem mais ninguém, eu sou a única UX da empresa.

Então, eu senti muita liberdade. Eles me deixaram muito à vontade para trazer ideias, estudos e para compartilhar minhas dúvidas e coisas do tipo. Eu conseguia dividir temas nas reuniões diárias e até com o CTO.

Todas essas pessoas me deixaram muito à vontade para perguntar e discutir soluções. Eu sinto que estou aprendendo muito e, talvez, em uma empresa grande, eu não teria essa liberdade de implementar ideias.

Então, está sendo bom nesse sentido, a liberdade de discutir, implementar e ter respeito pelas ideias. Eu nunca tinha vivenciado isso antes.

Como você equilibrou a questão de ser uma UX Júnior entrando como única designer da empresa?

Foi complicado no começo porque eu tinha muitas dúvidas sobre como começar os processos.

Então, desde as primeiras telas que desenvolvi, mesmo que simples, eu efetuava pesquisas e corria atrás de referências sobre tudo.

Aproveitei que havia flexibilidade de prazos e fui me munindo dessas pesquisas, conversava com o Rick e até voltava para assistir algumas aulas do MID.

Além disso, havia muita conversa com a Product Manager. Eu dividia as dúvidas e ela conseguia me orientar, apesar dela não ser UX efetivamente dito.

Então, nesse começo foi muito bom conseguir procurar ajuda, pesquisar e conversar com as pessoas.

Portfólio Ana Luisa Risério
Portfólio Ana Luisa

Qual é o seu maior desafio no momento?

Acho que meu maior desafio é entender como trabalhar com os diferentes frameworks e metodologias, principalmente porque eu nunca tinha trabalhado com tudo isso antes.

Temos muita coisa para resolver no aplicativo e é importante saber qual framework melhor se adequa ao problema que queremos solucionar.

Nem todo problema utiliza a mesma metodologia, então preciso entender em qual momento utilizo uma ferramenta e em qual uso outra.

Acho que o principal desafio é estabelecer qual vai ser meu passo a passo para resolver o problema que está nas minhas mãos no momento.

Qual o seu maior aprendizado durante essa trajetória e que você compartilharia com a Ana do passado?

Se fosse para falar alguma coisa para a Ana do passado, eu provavelmente diria para ela começar o MID antes!

E diria também para focar nos estudos! Organizar e pensar no caminho que ela tem para seguir.

Diria que é tem muito material disponível, mas é importante estabelecer as metas para não sair do percurso.

Eu diria isso, para ela focar no escopo do curso!

Além disso, diria para controlar a ansiedade.

Há momentos em que ficamos pensando na velocidade das coisas, mas é importante ter calma. Porque o curso tem tudo para fazer com que os alunos consigam migrar para UX. Então, basta ter foco e calma!

Dica de Leitura: 11 Razões Que Fazem do MID um Curso de UX Design Incrível

Ana, obrigado pelo seu tempo! Muito sucesso na sua trajetória!

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Gostou do nosso conteúdo?
Inscreva-se em nosso canal no YouTube e fique por dentro do mundo do UX
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.
Faça parte da comunidade Aela no Telegram!
Receba nossos conteúdos e notícias em primeira mão