Entrevistas
Duas Vagas em UX Design em Dois Meses — Entrevista Com Gabriela Leopoldo
Lista de conteúdos
Entrevistas

Duas Vagas em UX Design em Dois Meses — Entrevista Com Gabriela Leopoldo

Gabriela é aluna do MID e decidiu migrar do Design Gráfico para UX Design, com o desejo de trabalhar com produtos digitais.

Ficou cerca de 1 ano dedicando-se aos estudos para conseguir a sua primeira oportunidade. O que Gabriela não esperava era receber uma proposta irrecusável pouco tempo depois!

Além disso, Gabriela nos conta como conseguiu se organizar para focar seus estudos no MID e compartilha diversas outras dicas. Confira essa trajetória e inspire-se!

Gabriela, apresente-se, por favor!

Felipe, muito obrigada pelo convite. Estou muito feliz de poder estar aqui hoje, compartilhando a minha história!

Eu tenho 23 anos e sou do interior de São Paulo, de uma cidade chamada Bauru.

Conheci o design cedo, com 14 anos. Nessa época eu criei um blog e fiquei fissurada na parte de construção do layout.

Por conta disso, aprendi Photoshop, HTML, CSS, para conseguir deixar o blog do meu jeito!

Foi uma experiência bem legal porque eu aprendi tudo sozinha, apenas pesquisando pelo Google.

Já naquela época, começaram a aparecer alguns freelas para fazer outros blogs. Foi assim que eu comecei na área!

A partir dessa experiência, tive a certeza de que Design era a faculdade que eu iria fazer. Então, com 17 anos entrei direto no curso.

Durante a faculdade, eu fui freelancer em uma empresa do Maranhão, trabalhando remotamente com mídias sociais, fazendo a parte de design gráfico dentro das campanhas publicitárias.

Pouco tempo depois eu consegui entrar na Tilibra como estagiária e depois fui efetivada na mesma empresa.

Meu namorado é desenvolvedor e começamos a fazer alguns projetos pessoais juntos. Foi aí que percebi que eu tinha muita coisa para aprender, falando principalmente em produtos digitais.

Portfólio UX Design Gabriela Leopoldo
Portfólio Gabriela Leopoldo

Foram esses projetos pessoais que te trouxeram de volta para o Design Digital?

Os projetos ajudaram, mas ao mesmo tempo eu comecei a questionar um pouco o processo do design gráfico, os prazos, o desenvolvimento depois de terminar o produto.

Com os projetos pessoais, comecei a perceber que a área digital era algo que eu gostava muito e a vontade de conhecer mais sobre ela foi me levando para frente.

Eu sabia que eu queria aprender mais, mas eu não queria investir muito ainda porque não tinha pesquisado mais sobre a área.

Nesse sentido, comecei a fazer cursos mais baratos e a consumir conteúdos gratuitos pela internet.

Entendendo melhor, acabei amando a área de UX Design!

Eu sempre recomendo conhecer mais a área antes de mergulhar de cabeça. Sempre falo para as pessoas fazerem cursos mais baratos para saber se gostam e se identificam com a área, antes de investir mais dinheiro em cursos mais aprofundados.

Estudar o mercado e as oportunidades faz a diferença! Principalmente porque trabalhar com design gráfico é bem diferente de trabalhar com UX Design.

Dica de Leitura: Design – Estou Na Profissão Errada?

Como foi que você teve certeza de querer migrar para UX Design?

O que me fez ter a certeza de querer migrar para UX Design e fazer as inscrições no MID, inclusive, foi ter participado do Startup Weekend.

Nesse evento, você tem mais contato com pessoas da área de tecnologia e para mim foi uma experiência muito bacana!

Eu me apaixonei muito quando saímos do computador e fomos validar o que desenvolvemos.

Enquanto designer gráfico, eu nunca tinha saído da frente do computador para pensar no que devemos fazer e falar com as pessoas.

Então, o Startup Weekend foi o evento que me fez ter certeza de que UX Design era o que eu queria estudar.

Eu entrei no MID em junho de 2019 e eu era uma pessoa completamente diferente naquela época.

Portfólio UX Design Gabriela Leopoldo
Portfólio Gabriela Leopoldo

Por que você era outra pessoa nessa época?

Eu era outra designer!

O que eu achava que sabia sobre design era muito pouco. Assim que eu comecei o MID eu percebi que eu tinha muita coisa pra aprender.

Hoje, eu olho para trás, para os projetos dos primeiros níveis do curso, e penso que eu os faria de uma forma completamente diferente!

Mas essa mudança não foi rápida. Foi algo que fui construindo ao longo desse tempo, fazendo uma imersão na área de tecnologia, procurando novas fontes de conhecimento.

Outra coisa que eu amo no MID é o direcionamento que vocês dão para a gente.

Em outros lugares, cada site e curso fala uma coisa diferente sobre a área, sobre os estudos e eu acabava ficando bastante perdida.

Dica de Leitura: 11 Razões que Fazem do MID um Curso de UX/UI Design Incrível

Como você organizou os seus estudos?

No começo foi bem difícil!

O meu antigo emprego demandava muito. Então, eu chegava em casa já bem casada.

Durante esse tempo, eu só conseguia estudar nos finais de semana, férias e feriados; e confesso que não estava feliz com essa dinâmica. Eu me sentia bem culpada de não conseguir focar mais nos estudos.

Mas algo que me ajudou muito foi aproveitar a redução da carga horária que aconteceu por conta da pandemia.

Começamos a trabalhar 6 horas, então eu tinha pelo menos 2 horas por dia para estudar e isso fez bastante diferença na minha vida.

Além disso, como estava trabalhando remoto, não havia o tempo de transporte e isso acabou ajudando ainda mais.

Dessa forma, eu estipulei horários no meu dia para cada atividade. Organizei a minha rotina completamente. Defini horários para estudos, refeições, exercícios, trabalho, etc.

Além disso, utilizei algumas outras técnicas e ferramentas para ajudar a me organizar.

Eu utilizo bastante o Notion e eu criei lá uma página dedicada para os meus estudos e, com isso, tentei imergir ao máximo.

Antes, eu tinha muitos materiais sobre muitos assuntos, e essa diversidade de coisas me fez perder muito tempo. Então, com o Notion, eu separei os estudos por temas e estipulei dias específicos para estudar cada um deles.

Nesse sentido, eu tinha um dia para ler conteúdos extras, dias para fazer o curso e outros para fazer exercícios práticos.

Essa organização me ajudou muito porque eu já sabia tudo o que deveria fazer, tinha tudo planejado e isso foi muito bom.

E o mais interessante, sobre o MID, é que eu achava que ele seria muito importante antes de eu conseguir a minha vaga. Mas percebi que, hoje, trabalhando na área, o curso é muito mais importante do que quando eu apenas estudava.

Agora eu consigo ver na vida real o que posso fazer para ajudar e o curso ajuda a me preparar melhor para as situações.

Portfólio UX Gabriela Leopoldo
Gabriela Leopoldo – Wireframes

Como foi seu processo seletivo?

Eu lembro que logo com dois meses de curso, eu participei de uma entrevista aqui na minha cidade e eu não tinha feito nada! Eu construí um portfólio bastante superficial em que dava para perceber claramente que eu não sabia o que estava fazendo!

Mas mesmo assim eu fui chamada para uma entrevista e, com isso, percebi como o mercado de UX Design estava aquecido e como as empresas estavam dispostas a contratar alguém para aprender junto.

Claro que, para essa vaga que comentei, acabei não passando, porque eles estavam procurando por uma pessoa mais experiente.

Mas essa situação abriu meus olhos! Poxa, com apenas dois meses de curso já fui chamada para uma entrevista!

Quando eu terminei o nível 2 do MID, comecei a trabalhar meu portfólio e mandei meu currículo para algumas vagas.

Eu cheguei a fazer 4 entrevistas, algumas delas durante a pandemia. Algo que acreditei que não fosse acontecer.

Nisso, veio a Yampi, uma empresa que me encontrou através de uma indicação de um amigo do meu namorado. Eles entraram em contato pelo LinkedIn, viram meu portfólio e a entrevista foi basicamente uma conversa.

Foi bem rápida e bem assertiva a vaga, porque casou muito com o que eu estava procurando.

Dica de Leitura: O "Boom" do UX Design

Essa vaga é remota mesmo após a pandemia?

Sim!

Mas o CEO comentou que quer promover encontros pontuais porque é algo que faz bem para a equipe, para as pessoas se conhecerem.

Eu já tinha tido uma experiência remota antes, e eu adoro! Não perco tempo com transporte, é bem legal!

Como foi o onboarding remoto na empresa?

É uma empresa que eu estou amando muito e está sendo incrível para mim.

É muito diferente de tudo o que eu já vi em design gráfico. O time é unido, a comunicação é muito boa, o ambiente é leve e saudável e tem muito suporte!

Eu entrei como pleno e estou participando de alguns novos projetos, mas atualmente atuo bastante na parte visual também. E estou aprendendo bastante, a minha experiência em design gráfico tem ajudado muito.

Às vezes a gente acha que nosso background vai ser jogado fora, mas não é bem assim!

Portfólio UX Design Gabriela Leopoldo
Gabriela Leopoldo – Processos

Qual o maior aprendizado durante esse processo de migração para UX Design?

Durante o processo eu recebi alguns feedbacks que foram muito legais e que me permitiram ver aonde eu estava errando.

Um aprendizado importante foi, no portfólio, conectar o problema até a solução, apresentando todo o processo!

As pessoas das entrevistas me disseram que era bem difícil ver alguém fazendo isso, e eu achava que era normal, afinal de contas, é algo que vocês no MID batem muito na tecla.

Outra coisa que me ajudou muito foi analisar o portfólio de outras pessoas e ir anotando o que eu havia gostado em cada um deles.

Dessa forma, quando eu montei o meu portfólio eu utilizei muitos pontos que eu havia anotado!

Dica de Leitura: Portfólio de UX Design – 6 Dicas Essenciais para Montar o Seu

Qual dica você dá para quem quer migrar para UX Design?

Ser curiosa me ajudou muito, apesar de parecer algo bem clichê! Pesquisa e procurar sobre a área foi muito importante.

Outra coisa que foi essencial foi estabelecer o que era importante para eu fazer em cada momento; me organizar, ter foco no curso e nos estudos.

Foi muito importante a disciplina para não perder o foco.

Toda vez que eu estava desvirtuando, eu voltava para o Notion e via qual era a minha prioridade e voltava a dar foco nas coisas certas.

Diria também que a paciência é, de fato, essencial! A sua cabeça vai mudar, com certeza, mas isso não acontece de um mês pera o outro. Tenha calma e faça as coisas corretamente, estudando bastante!

Não tem como fugir, toma tempo e isso faz parte do processo. Não existem atalhos!

Portfólio UX Gabriela Leopoldo
Portfólio Gabriela Leopoldo

Observação: logo após a gravação dessa entrevista, Gabriela recebeu uma outra oportunidade bem surpreendente e voltamos para contar essa nova etapa!

Gabriela, conta pra gente! O que aconteceu?!

Umas duas semanas depois que gravamos o vídeo da entrevista, apareceu essa oportunidade de uma empresa que eu já admirava bastante!

Eu mandei o currículo para eles no começo do ano, mas me responderam somente no segundo semestre.

Eles me chamaram para uma entrevista, e rolou muita identificação.

A diferença é que eles são uma consultoria e acabou rolando muita confusão na minha cabeça! Foi um momento importante na minha carreira e vida profissional e eu não poderia estar mais feliz com o que aconteceu!

Como aconteceu a entrevista?

Na época em que mandei o currículo, eles nem deviam ter vagas abertas, então acho que fiquei em um banco de talentos.

Quando abriram a vaga, eles entraram em contato comigo.

A entrevista foi bem tranquila, uma conversa com a pessoa que é meu Head hoje.

Ele perguntou sobre a minha trajetória, questionou meu portfólio, quis entender o processo, como que eu faço as pesquisas.

Então, foi muito legal, porque percebi que eles tinham um foco que vai além do visual e a conversa explorou bastante como eu chegava nas soluções.

Em seguida, conversei com o CEO e essa entrevista foi mais direta. Ele perguntou sobre atitudes em determinadas situações. Ele me deixou um pouco nervosa, mas foi muito legal.

Acho que as aulas do MID me ajudaram muito nesse processo porque vocês explicam como uma consultoria funciona. Então, eu já participei da entrevista sabendo de muita coisa.

E o mais legal foi ter recebido feedbacks positivos com relação às entrevistas!

Portfólio UX Design Gabriela Leopoldo
Portfólio Gabriela Leopoldo

Dica de Leitura: 11 Medos Que Te Impedem de Migrar para UX Design

Qual a principal diferença entre a startup e a consultoria?

A principal dúvida que eu tinha quando me chamaram era: será que eu vou aprender tudo de forma muito rasa ou vou conseguir me aprofundar nos temas?

Mas hoje eu sei que o aprendizado dentro da consultoria não é nada superficial. Pelo menos aqui onde trabalho.

Nesse sentido, eu estou conhecendo e aprendendo muito. O trabalho é muito multidisciplinar e a equipe é incrível. Os times sempre possuem diversos profissionais e você participa mesmo do processo.

Então eu tenho interagido com a área de estratégia, de pesquisa e tenho tido bastante autonomia.

Estou com a chance de poder ver muita coisa diferente, projetos diversos e acompanhar tudo isso!

Estou gostando muito de trabalhar em consultoria!

Parabéns Gabriela pelas conquistas e desejamos muito sucesso na sua trajetória!

Cursos

Nosso maior orgulho é todo mês ter alunos e alunas contratados em grandes empresas e em países como
Brasil, Estados Unidos, Irlanda, Alemanha, Espanha, Portugal, Áustria, Rep. Tcheca, Nova Zelândia e Canadá.