Research
Continuous Discovery: Por Que Continuar Pesquisando?
Baixar em PDF
Lista de conteúdos
Research

Continuous Discovery: Por Que Continuar Pesquisando?

Continuous Discovery: Why Keep on Researching?

O processo de Product Discovery é um dos mais importantes no desenvolvimento de produtos. A partir dele, temos um outro processo também fundamental: Continuous Discovery.

A ideia desse processo é manter o ciclo de pesquisa, teste e aprendizado constantes para que a melhoria do produto seja contínua, trazendo benefícios para as empresas e para o produto em si.

Neste artigo falaremos mais sobre a Continuous Discovery e colocamos 7 dicas para te ajudar a implementar esse processo na sua rotina.

O que é Continuous Discovery?

Em tradução livre, Continuous Discovery seria algo como Descoberta Contínua.

Como o próprio nome sugere, a Continuous Discovery corresponde a uma abordagem na qual o time de produto realiza pesquisas de forma contínua com o objetivo de coletar feedbacks das pessoas ao longo de todo o ciclo de vida de um produto.

Dessa forma, este processo de UX Research utiliza diversos recursos de pesquisa como entrevista e testes para coletar informações adicionais e promover a melhoria contínua dos produtos.

Relembrando a Product Discovery

Product Discovery

Antes de prosseguirmos com mais detalhes sobre a Continuous Discovery, é válido relembrar rapidamente sobre o processo de Product Discovery.

Dentro do processo de desenvolvimento de produtos, a Product Discovery corresponde às atividades de:

  • Entendimento do problema;
  • Seleção e refinamento das soluções.

Ou seja, a Product Discovery tem como objetivo compreender as pessoas usuárias e identificar suas necessidades, criando melhores soluções para atendê-las.

O foco do processo está na coleta de dados, validação de suposições e na descoberta de uma necessidade latente para as pessoas.

Para entender mais a fundo sobre o processo de Product Discovery, sugerimos a leitura do nosso artigo sobre o tema:

A importância de Continuous Discovery

Vale ressaltar que não há nada de errado em efetuar o desenvolvimento de um produto sem utilizar a Continuous Discovery.

A entrega de um produto bem desenvolvido pode acontecer muito bem sem um processo iterativo de pesquisa. No entanto, a importância do Continuous Discovery acontece na manutenção do valor que o produto proporciona para as pessoas usuárias e para a empresa.

Principalmente quando falamos sobre produtos digitais onde o desenvolvimento de novos recursos pode ser feito de forma mais veloz, é importante estar sempre atento para que os produtos continuem levando valor para as pessoas.

Nesses casos, não falamos apenas sobre criar novos recursos ou melhorar a experiência dentro do produto. Mas existem situações em que a pesquisa constante pode fortalecer tomadas de decisão cruciais para a sobrevivência do próprio produto ou empresa.

Um exemplo bastante interessante de analisar é o da Netflix.

Netflix: Exemplo de continuous discovery

A Netflix começou como um serviço de locação de DVD por correio. Após certo tempo, implementou um serviço de assinatura, investiu no streaming e hoje possui grandes produções cinematográficas.

De fato, não é possível saber se na época o time de produto da Netflix efetuava o Continuous Discovery. Mas o ponto é que a empresa não parou de evoluir seu produto, se adaptando às novas necessidades e entregando cada vez mais valor para seus clientes.

Isso fez com que a Netflix crescesse e se tornasse a gigante que é hoje.

Num outro cenário, se a Netflix continuasse insistindo em locar DVDs pelo correio, talvez seu destino não fosse tão diferente do seu concorrente na época, a Blockbuster.

Portanto, a Continuous Discovery é importante tanto em termos de melhorar a experiência do produto, aprimorando sua autoridade e marca, quanto para a própria sobrevivência da empresa frente ao avanço do mercado e dos concorrentes.

Dica de Leitura: Análise de Dados em UX Research

Como implementar o Continuous Discovery?

De maneira geral, qualquer atividade ou metodologia de pesquisa pode ser adaptada para a descoberta contínua, sejam entrevistas, testes ou surveys. Isso porque cada um desses métodos não sofrerá alterações em sua estrutura, apenas em sua frequência e intensidade.

Nesse sentido, comparando com um processo linear de Product Discovery, ou seja, onde não há a descoberta contínua, a parte de research sempre vai ser única e com mais investimento. Nesse caso, o objetivo é descobrir tudo o que for possível para dar suporte para as tomadas de decisão que surgirão ao longo do processo.

Na Continuous, é possível investir menos tempo e recurso em cada uma das pesquisas, e aumentar a sua frequência para toda semana, ou quinzenalmente, por exemplo.

Dessa forma, podemos dizer que para implementar a Continuous Discovery não é necessária uma mudança em frameworks ou nos métodos. O que deve mudar, na verdade, é a mentalidade das pessoas, do time e do ambiente corporativo.

Com isso em mente, existem duas sugestões que podem ajudar a mudar e a fortalecer uma mentalidade em Continuous Discovery:

1) Criar uma rotina de pesquisa: para definir qual a frequência e quais métodos vão ser usados na descoberta contínua. Mas mais importante do que definir uma rotina é cumpri-la. Não adianta criar um hábito na teoria, é fundamental fazê-lo na prática.

2) Promover a colaboração de todo o time: num processo de descoberta contínua é importante envolver pessoas que não necessariamente são pesquisadoras. Isso ajuda a criar empatia e a fortalecer a importância da Continuous Discovery para engenheiros, designers, stakeholders, etc.

7 dicas para implementar a Continuous Discovery

7 dicas para a descoberta contínua

Apesar da Continuous Discovery ser mais uma mudança de mentalidade do que de processo propriamente dito, pode haver certos percalços na sua implementação.

Nesse sentido, listamos 7 dicas que podem te ajudar a implementar a descoberta contínua com menos atrito.

1) Crie um ambiente favorável

Fortaleça a confiança do time de produto e de researchers para que se sintam à vontade e encorajados a efetuar os processos de Continuous Discovery.

Além disso, dê autonomia para o time e flexibilidade para atuar no processo, ao invés de ficarem presos a um plano específico.

Outra coisa importante é advogar a favor da descoberta contínua para os stakeholders, diretores e outras pessoas na liderança. Quando todos entendem os benefícios da Continuous Discovery, o ambiente de trabalho se torna mais produtivo.

2) Construa um time de discovery

É aconselhável criar um time focado em Continuous Discovery, ao invés de deixar esse processo somente na liderança de um gerente de produto, por exemplo.

Priorize a multidisciplinaridade, ao invés da quantidade. O time focado em descoberta contínua não precisa ser grande, mas deve conter researchers, designers, talvez um desenvolvedor e alguém de produto.

3) Não pare de fazer perguntas

Manter a curiosidade como virtude dentro do time é importante para que a descoberta contínua tenha sucesso.

No entanto, é importante usar diversas técnicas de UX Research para garantir que sejam feitas as perguntas corretas e da maneira mais adequada. Fazer perguntas sem nenhum critério pode enviesar os resultados.

Além disso, procure sempre buscar mais fundo nos feedbacks das pessoas entrevistadas. Caso encontre um insights que mereça mais atenção, construa uma nova pesquisa baseada somente nessa questão.

Não parar de fazer perguntas e analisar os feedbacks é a essência da Continuous Discovery.

Dica de Leitura: Investigando Problemas Como UX Designer

4) Faça pequenos experimentos

Uma das maneiras mais interessantes de criar e evoluir uma rotina de descoberta contínua é quebrar grandes experimentos em pequenos testes semanais.

Uma mudança de objetivo também se faz necessária. No processo de descoberta contínua coloque atenção em testes de suposições ao invés de testar soluções.

Essa dinâmica permite com que você avance com mais rapidez pelo processo de descoberta e consiga implementar as mudanças necessárias no produto.

Para isso, sempre tenha em mente uma lista de ideias e suposições que possam ser testadas de forma rápida, com pesquisas não moderadas ou surveys mais simples.

Seja científico e defina os critérios de sucesso, baseando-se sempre em números e evidências.

5) Pense em outcomes ao invés de outputs

Quando em um processo de Continuous Discovery, é importante dar mais atenção aos outcomes (objetivos) do que aos outputs (meios para se atingir os objetivos).

Os outputs nada mais são do que as metodologias e ferramentas que serão utilizadas nas pesquisas de descoberta contínua. De fato, não devemos perder muito tempo com essas definições — apesar delas terem sim sua importância.

Num processo de Continuous Discovery o que precisa estar bem claro são os objetivos do negócio e do produto em questão, assim, tornando-se as bases principais para questões, testes e novas melhorias.

Nesse sentido, tenha em mente sempre quais são os objetivos atuais do negócio que podem ser atingidos com a ajuda da melhoria do seu produto através da descoberta contínua. Ao mesmo tempo, entenda também quais os objetivos de produto que precisam ser alcançados.

Com isso em mãos, as pesquisas contínuas podem garantir uma taxa de sucesso muito mais alta por estarem mais focadas no que é mais importante para os negócios.

6) Cuidado com viés em perguntas em entrevistas

Teresa Torres, autora do livro Continuous Discovery Habits: Discover Products that Create Customer Value and Business Value, sugere que as perguntas das entrevistas sejam feitas em forma de storytelling, ao invés de forma direta.

Torres diz que quando perguntamos Como, Por Que, Quando, para alguém, induzimos alguns vieses cognitivos. Isso porque sem contexto, somos muito ruins em responder perguntas diretas, como quantas vezes acessamos tal aplicativo ou porque apertamos tão botão.

Ao invés dessa abordagem direta, a dica que fica é fazer perguntas com contexto. Por exemplo: Me conte um pouco sobre a última vez que você teve que acessar o seu aplicativo de banco para pagar uma conta.

Ou então mais abrangente: Me conte um pouco sobre a última vez que você acessou o aplicativo do banco.

A partir disso, a pessoa vai contar os detalhes dessa jornada e você poderá conduzi-la com menos viés possível.

Dica de Leitura: Viés Cognitivo – Como Ser Imparcial Em Seus Projetos de UX?

7) Sempre mostre o seu trabalho

Essa última dica está alinhada com a primeira, dessa lista.

Mostrar o trabalho é importante para trazer pessoas para o seu lado e apresentar os benefícios da Continuous Discovery nos processos de gerenciamento de produto.

Os resultados devem tanto ser compartilhados com o próprio time como com stakeholders e outras pessoas da liderança.

Não se esqueça que conforme você for implementando e executando a Continuous Discovery, você também vai fazer adaptações e melhorias no seu processo de pesquisa. Isso também é bastante importante para manter o time afiado e sempre preparado.

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!


Programas

Nosso maior orgulho é todo mês ter pessoas da comunidade contratadas em grandes empresas, em países como
Brasil, EUA, UK, Irlanda, Alemanha, Holanda, Espanha, Portugal, Áustria, Rep. Tcheca, Nova Zelândia e Canadá.