A Memória e Seu Impacto na Usabilidade

5 Minutos de leitura

A memória é uma capacidade incrível do ser humano e que está atrelada a diversos outros conceitos, inclusive à usabilidade. Neste artigo, nós mostraremos como você pode melhorar a experiência dos seus produtos, baseando-se nos conceitos básicos de memória!
A Memória e Seu Impacto na Usabilidade

Não é de hoje que podemos relacionar a usabilidade com estudos sobre psicologia e a mente humana. Na verdade, esse tipo de estudo é bastante complexo e envolve diversos conceitos como:

  • percepção;
  • atenção;
  • pensamento;
  • resolução de problemas;
  • emoção;
  • conhecimento.

Além desses tópicos, não poderíamos deixar de falar sobre um assunto extremamente relevante quando pensamos na mente humana: a memória.

A memória e o conhecimento andam juntos, e o assunto se subdivide em um número incontável de sub-tópicos, portanto há uma infinidade de conteúdo sobre o assunto. Porém, o tema é extremamente conectado ao comportamento dos usuários diante de processos interativos, e é de extrema importância que você entenda como isso afeta a forma e o comportamento de seu público alvo.

Modelo mental da memória

Dentro dos estudos de UX e usabilidade, dividimos o modelo mental da memória em 3 tipos:

  1. Memória sensorial (snapshot): é a memória do instante. Tem uma duração muito curta (menor que 1 segundo) e uma capacidade muito limitada de armazenar informações;
  2. Memória de curta-duração (temporary buffer): também conhecida como memória primária. Em geral expira após 30 segundos. Ainda tem uma capacidade limitada de armazenamento, mas é maior que a memória sensorial;
  3. Memória de longa-duração (permanent store): a duração é ilimitada, assim como a capacidade do que se armazena.

Neste artigo, abordemos com mais profundidade e foco a memória de curta-duração.

Dica de Leitura: A Importância da Psicologia em UX Design

Memória de curta-duração

A STM (short-term memory) é uma faculdade mental capaz de armazenar uma quantidade limitada de informações em estado extremamente acessível, temporariamente.

Dentro da STM existe o conceito da Memória de Trabalho (WM — working memory), que atua dentro da capacidade de acessarmos informações relevantes em relação às tarefas do dia a dia. A forma com que nós, UX/UI Designers, trabalhamos aqui vai influenciar severamente na usabilidade de nossos projetos.

Pense na forma que você categoriza um número de telefone. Em geral, no Brasil, usa-se o formato (01) 23456–7890.

Por que não usamos simplesmente 01234567890? Porque a WM tem mais facilidade de armazenar blocos menores de informação.

Dentro deste estudo, existe o Magic Number 7, que aponta que as pessoas têm a capacidade de se lembrar de blocos que tenham em torno de 7 dígitos (variando para 2 dígitos a mais ou a menos). Isto não quer dizer que você vai dividir tudo por 7, mas lembre se dos pequenos blocos de informação, pois blocos maiores vão sobrecarregar a WM.

Como exemplo, vamos ver alguns pontos relacionados à WM que devemos considerar dentro dos projetos de usabilidade.

Tutoriais complexos podem gerar sobrecarga

Será que o usuário vai lembrar destas informações momentos depois?

Não vamos entrar na famosa discussão de que "projeto bem feito não precisa de instruções", porque isso é algo completamente relativo. O que importa é como e quando essa informação é apresentada para que não crie uma carga extra no que o usuário pode armazenar.

O ideal para estes cenários é aplicar o sistema de ajuda just in time, que consiste em contextualizar a ajuda ao ambiente e ao momento em que é necessária.

Veja que interessante este comentário do Jakob Nielsen sobre o assunto:

Placeholders: sobrecarregam a WM

Utilizar campos de formulário sem rótulos, apoiados apenas em placeholders, é uma prática bem perigosa. Ao preencher um formulário, especialmente mais longos, usuários podem facilmente ser distraídos por outras coisas (outras abas, notificações, documentos que precisam para finalizar o preenchimento, etc.) e perder o fio da meada ao retornarem, além de terem dificuldades em revisar o que foi feito antes de submeter os dados.

Dica de Leitura: Leis de UX – Os Princípios Básicos de UX Design

Mostrar links visitados aliviam a WM

Comumente ignorado, o recurso de marcar links visitados é um aliado importante para ajudarmos a manter a WM leve e limpa para o que realmente importa em um projeto.

Tabelas de comparação minimizam a carga da WM

Tabelas de comparação são um bom exemplo de como exibir um grande número de informações sem sobrecarregar a WM. Tente pegar uma tabela complexa e comparar os dados. É uma boa forma de você analisar como você mesmo(a) absorve as informações nestas situações e entender parte de como isto funciona (o que você lembra, o que não lembra).

Tabelas são elementos cruciais do processo de escolha do usuário, portanto é preciso levar em conta diversos fatores que podem levar ao sucesso ou ao fracasso.

Conclusão

Este é um assunto muito vasto, e não tocamos nem no cantinho da unha do dedo mínimo do tema. Porém é um assunto de extrema importância e de altíssimo impacto no resultado de projetos digitais, e comumente deixado de lado quando profissionais consideram suas decisões de design.

Esperamos que essas dicas tenham ajudado a você a entender a importância do tema e a começar a explorar o assunto.

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.
Faça parte da comunidade Aela no Telegram!
Receba nossos conteúdos e notícias em primeira mão