5 Livros de Psicologia Essenciais Para UX Design

Você sabia que a área de Psicologia e UX Design estão intimamente conectados? Uma das áreas da Psicologia estuda o comportamento humano, interações sociais e gatilhos emocionais. Tudo isso é um conteúdo riquíssimo que auxilia em projetos de UX Design. Quer entender melhor sobre essa relação? Confira a lista de 5 livros de psicologia que preparamos que vão fazer você ir além como UX Designer.
5 Livros de Psicologia Essenciais Para UX Design

Psicologia e UX Design

No universo dos produtos digitais, não é raro acontecer algumas das seguintes situações:

  • Usuários que interagem com um site por pouquíssimo tempo e o abandonam;
  • Compras online que não são concluídas;
  • Aplicativos que são utilizados apenas uma vez e são deletados.

Sempre que usuários interagem com nossos produtos, criam-se relações psicológicas e grande parte dos problemas enfrentados pelos usuários podem ser resolvidos ao se tentar entender seu comportamento. Por isso que a psicologia e o UX Design estão bastante conectados.

Os estudos na área de psicologia buscam também compreender o que leva uma pessoa a gostar ou não de uma informação visual: quais cores, formatos, posições influenciam no comportamento de escolha; quais estratégias o cérebro faz para eliminar ou selecionar uma informação.

A partir desses estudos, a área de UX Design tem implementado cada vez mais os entendimentos sobre psicologia em seus projetos. Consequentemente, compreendendo melhor o ser humano, suas necessidades, problemas e expectativas. Ou seja, fazendo a tecnologia mais humana e empática possível. Essa relação traz benefícios para a empresa, Designer e usuário!

Confira a baixo a lista de 5 livros que tratam da psicologia e UX Design como uma parceria de sucesso e entenda mais sobre o assunto!

1) 100 Things Every Designer Needs to Know About People, de Susan Weinschenk

A autora Susan Weinschenk é uma psicóloga especialista em comportamento humano. Ela já escreveu diversos livros voltados para UX Design, portanto esse é um livro voltado para profissionais dessa área — sejam iniciantes ou não.

Nesse livro, Susan reúne 100 pesquisas/ estudos que têm como objetivo mostrar para o leitor os gatilhos comportamentais que levam as pessoas à tomada de decisão.

Susan aborda o assunto em seções:

  • Como as pessoas vêem;
  • Como as pessoas pensam e se lembram;
  • Como as pessoas decidem;
  • Como as pessoas lêem e interpretam informações;
  • Como as pessoas são influenciadas por histórias;
  • Como as pessoas se relacionam com outras pessoas e com a tecnologia;
  • Como a criatividade, o corpo e a demografia influenciam no design;
  • Como as pessoas consomem;
  • Como as pessoas interagem com interfaces e dispositivos.

100 Things Every Designer Needs to Know About People não é, necessariamente, um livro para ser lido de uma vez. Ele funciona como um livro didático, os capítulos são curtos e ao final deles há um resumo do que foi abordado.

É uma leitura tranquila e essencial para o UX Designer entender conceitos comportamentais dos seus usuários e como trabalhar com eles para projetar com mais eficiência os seus produtos.

O livro está disponível na Amazon, em inglês.

2) Emotional Design: Why We Love (or Hate) Everyday Things, de Don Norman

Nesta lista não poderia faltar um livro de Don Norman, obviamente.

Don junto com Jakob Nielsen e Bruce Tog são considerados os pais da usabilidade e fundadores da Nielsen Norman Group (NN/g). Se existe uma consultoria autoridade em UX, essa é a NN/g.

Don Norman já escreveu outros livros sobre usabilidade, inclusive os clássicos The Design of Everyday Things e o The Design of Future Things.

Em Emotional Design: Why We Love (or Hate) Everyday Things, Don escreve com uma visão mais madura sobre como as emoções são importantes para o cotidiano das pessoas e como elas — as emoções — estão ligadas à usabilidade e utilidade dos objetos.

O resultado de tudo que você faz tem tanto um componente cognitivo quanto um afetivo: cognitivo para dar significado, afetivo para dar valor” (NORMAN, 2004, p. 25)

O livro foca em 3 pilares emocionais, os quais são essenciais para que o usuário crie conexões com os produtos:

  • Visceral: como as pessoas reagem à aparência de um produto;
  • Comportamental: o prazer em usar um produto;
  • Reflexivo: racionalização da emoção e conexão com o produto.
Fonte: hellerdepaula.com.br

Don, para exemplificar toda a teoria, traz diversos estudos de caso interessantes.

Emotional Design: Why We Love (or Hate) Everyday Things é um livro que fará com que você leve em consideração todo o aspecto emocional ao desenvolver um produto. Com a leitura, você será capaz de entender quais são as necessidades emocionais dos usuários e como eles tendem a elas.

Você pode encontrar o livro na Amazon, em português.

Dica de Leitura: Design Emocional – Criando Produtos de Valor

3) Mental Models: Aligning Design Strategy With Human Behavior, de Indi Young

Nesse livro, a autora Indi Young aborda a importância dos modelos mentais no desenvolvimento de projetos de UX Design.

Modelos mentais são a maneira como determinado grupo interpreta o ambiente ao seu redor e como esse ambiente influencia em suas decisões.

Além disso, os modelos mentais são compartilhados, ou seja, pode-se estabelecer um padrão de modelo mental para diversos indivíduos ou diversos grupos.

Indi Young, em seu livro, procura explicar como e quando usar modelos mentais em seus projetos. Para isso, ela descreve ferramentas que auxiliam a identificar o comportamento, o pensamento e o sentimento dos seus usuários, quando interagem com algum produto/ interface.

O livro descreve processos e diagramas para organizar os resultados de pesquisa com os usuários.

Após essa primeira parte, Young foca em como montar e usar modelos mentais. É interessante, pois ela aborda temas desde a pesquisa com os usuários até a maneira de analisar os resultados dessas entrevistas.

Mental Models: Aligning Design Strategy with Human Behavior é um excelente livro para o Designer que deseja entender melhor como retirar informações importantes de seus usuários, tendo em vista seu comportamento, e como transformar essa informações em inputs certeiros para o desenvolvimento de um produto.

O livro está disponível na Amazon, em inglês.

4) Neuro Web Design: What Makes Them Click?, de Susan Weinschenk

A autora Susan Weinschenk aparece novamente nesta lista, agora com seu livro sobre Neuro Web Design.

Assim como seu outro livro, Neuro Web Design: What Makes Them Click? é um livro bem organizado e didático, de leitura fácil.

Nesse livro, Susan aborda conceitos de persuasão para o mundo digital, mais especificamente para Web Sites. Depois da leitura, é possível entender como acontece o processo de decisão dos usuários dentro de um site.

É interessante, pois a tomada de decisão em uma página da internet não é, necessariamente e totalmente, racional. Ela pode ser completamente baseada nas emoções e nos instintos do usuário.

Susan, explica a teoria dos 3 cérebros:

  • Cérebro antigo: ou reptiliano, é o cérebro cuja preocupação primordial é a sobrevivência;
  • Cérebro médio: onde as emoções e sentimentos são processados;
  • Cérebro novo: ou córtex, onde acontecem os pensamentos conscientes das pessoas.

A autora explica que um site eficiente deve ser capaz de conversar com os 3 cérebros do usuário.

Para concluir, Susan disponibiliza dicas e recomendações para que o desenvolvimento dos sites alcance o objetivo de conversar com todos os tipos de cérebro das pessoas.

Neuro Web Design: What Makes Them Click? é um livro essencial para o Designer que pretende entender melhor como projetar sites melhores, com o intuito de aprimorar a experiência do usuário, garantindo melhores conversões.

O livro está disponível na Amazon, em inglês.

Dica de Leitura: Padronização em UI – Design de Interfaces Consistentes

5) O Poder do Hábito, de Charles Duhigg

O último livro da nossa lista não possui um tema diretamente conectado com UX Design, assim como os títulos anteriores. Contudo, os conceitos trazidos neste livro de Charles Duhigg podem ser aplicados ao UX e, ainda, na vida pessoal do leitor.

Duhigg aborda como é possível começar ou mudar um hábito, tendo como base o Loop do Hábito:

  • Deixa: gatilho para se começar uma atividade rotineira;
  • Rotina: a ação do hábito em si;
  • Recompensa: aquilo que se ganha, em decorrência da rotina.
Exemplo de Loop do hábito. Fonte: ciclovivo.com.br

O autor explica que uma parte das decisões cotidianas são feitas no automático, pois são consideradas hábito.

Para o UX Design, entender o que é um hábito é importante para o desenvolvimento de produtos. Com os conceitos claros, é possível construir interfaces que tornam certas interações do usuário, um hábito.

É importante ressaltar que a aplicação desses conceitos, dentro do universo digital, tem que ser feita com bastante responsabilidade. Pois hábitos são fáceis de serem criados, dependendo de quais recompensas estão atreladas à eles, mas não são tão simples de serem mudados ou quebrados.

O livro pode ser encontrado na Amazon, em português.

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.