Wireframe: O Que É e Como Criar Um Para Seus Projetos De UX Design?

Os projetos de UX Design são compostos por diversos processos e fases essenciais para seu sucesso. Nesse sentido, uma etapa importante é o desenvolvimento de um wireframe. Contudo, apesar de parecer simples, existem diversas questões importantes a serem levadas em consideração. Continue neste artigo para entender mais sobre wireframes e como criá-los para seus projetos.
Wireframe: O Que É e Como Criar Um Para Seus Projetos De UX Design?

Para quem está começando em UX Design, entender todas as ferramentas e processos que envolvem um projeto de UX é fundamental.

Existem diversos termos que podem ainda não ser comuns ao vocabulário de iniciantes, e um deles é wireframe.

Neste artigo você vai entender o que é um wireframe, qual a sua importância e porque eles são diferentes de mockups e protótipos.

Confira e boa leitura!

O que são wireframes?

Wireframes são esboços simples de telas de produtos digitais, como sites e aplicativos. O intuito é estruturar e validar ideias, por isso os wireframes não contam com detalhes como cores, fontes, ícones e imagens.

Dessa forma, os wireframes conseguem demonstrar de forma direta a arquitetura final de uma interface, posicionando os elementos de forma simples e organizada. Portanto, o wireframe reflete apenas o necessário da proposta de uma interface digital.

Os wireframes, possuem dois objetivos principais:

  • Auxiliar o UX Designer na diagramação e aplicação da identidade visual;
  • Alinhar a expectativa do cliente quanto ao que o usuário quer e ao projeto criado.

Além disso, visam responder três perguntas fundamentais do projeto:

  • O quê? – Quais são os grupos de conteúdos que serão utilizados;
  • Como? – Como será a visualização da interface e como ela será utilizada pelo usuário;
  • Onde? – Definir o posicionamento e estrutura da informação e conteúdo na interface.
Wireframes desenvolvidos por Victor Rosato, aluno do bootcamp Master Interface Design (MID)

Dica de Leitura: 6 Dicas Essenciais para Montar o Seu Portfólio em UX Design

O que incluir em um wireframe?

O wiframe é uma ferramenta muito flexível e os elementos que o compõem variam de projeto para projeto. Ou seja, o nível de detalhe de cada wireframe vai depender da sua finalidade, dos seus objetivos.

No entanto, existem alguns elementos básicos necessários em todos os wireframes, como:

  • Cabeçalhos;
  • Rodapés;
  • Barras laterais;
  • Áreas de conteúdo.

Portanto, sem esses elementos fica impossível desenvolver um bom wireframe.

Wikipédia Redesign – Projeto por Sofia Coeli, aluna do bootcamp Master Interface Design (MID)

Quais são as diferenças entre wireframes e mockups?

Normalmente, os mockups representam a segunda etapa do desenvolvimento de um produto ou serviço, vindo depois dos wireframes e antes dos protótipos.

O mockup representa um modelo mais detalhado do produto final, com mais elementos estéticos e visuais. No entanto, as funcionalidades básicas ainda são demonstradas de forma estática.

Mas, apesar disso, o mockup permite que algumas questões da experiência do usuário sejam avaliadas, como:

  • preferência de estrutura de conteúdo:
  • layout;
  • paleta de cores.

Geralmente, os mockups são criados no Figma, Adobe XD ou no Sketch, mas podem ser desenhados no Photoshop, Illustrator, entre outras ferramentas.

Exemplo de mockup feito pela Lais Barbosa, aluna do bootcamp Master Interface Design (MID)

Dica de Leitura: Design de Ícones, um Passo a passo para Desenhar os Ícones de uma Interface

Diferenças entre wireframes e protótipos?

O protótipo é comumente confundido com wireframe, mas eles possuem conceitos diferentes. Normalmente, os protótipos são a última fase antes do desenvolvimento e lançamento do produto/serviço final.

Nesse sentido, os protótipos são exemplos funcionais de um projeto e são comumente utilizados para:

  • Simular as principais interações do usuário com aquele produto/serviço;
  • Testar o conteúdo junto com as interações;

Apesar de não conter todas as informações e características do produto/serviço final, ele mostra ao usuário certas funções da interface e permite a interação com o usuário. Portanto, protótipos podem ser feitos utilizando wireframes, mas também utilizando-se de mockups mais detalhados, dependendo da fase em que se encontra o projeto ou das necessidades a serem testadas.

Exemplo de protótipo no papel utilizando wireframe de baixa fidelidade – Estudo de Caso Wikipedia Nível 2 Bootcamp MID – Aluno Diego Crovador

Protótipos são a primeira interação do usuário com o produto/serviço e, eles fornecem resultados e informações através de testes de usabilidade.

Portanto, através desses testes, o UX Designer consegue:

  • Ajustar pontos que precisam de revisão;
  • Encontrar e corrigir ocorrência de erros;
  • Melhorar o feedback visual;
  • Entender o uso do produto em contextos individuais e sociais.

Dica de Leitura: Protótipos – O Que Você Precisa Saber Para Seus Projetos de UX/UI

Qual é a importância de wireframes no UX Design?

A grande vantagem do wireframe é que através dele é possível demonstrar as informações e elementos da interface de forma simples e prática.

Dessa forma, o UX Designer consegue compreender diversos aspectos de seu projeto, como:

  • Os tipos de conteúdo que ele deve conter;
  • Onde esses conteúdos devem ser posicionados na interface;
  • Expor de maneira correta textos, imagens e call-to-action com base na estratégia e objetivo final do projeto.

Portanto, com o uso de wireframes é possível criar uma interface final amigável e intuitiva para o usuário, que cumpra sua proposta de negócio e passe a mensagem correta de forma assertiva. O UX Designer cria um produto/serviço de alta qualidade e performance.

Além disso, os wireframes também ajudam:

  • A entender quantas telas o projeto precisará e como elas devem ser desenhadas e desenvolvidas;
  • Os desenvolvedores a solucionarem suas dúvidas sem ter que recorrer a fazer várias perguntas para o designer;
  • Na comunicação com o cliente e demais stakeholders, ao demonstrar como as ideias se comportarão na interface.

Além disso, os wireframes podem ajudar a diminuir os custos de um projeto porque a sua revisão e adaptação são mais baratas de serem feitas do que em mockups ou em protótipos.

Exemplo de Wireframe feito pela Louise Santos, aluna do bootcamp Master Interface Design (MID)

Dica de Leitura: 10 Razões que Fazem do UX Design uma Profissão Incrível

Como criar um wireframe?

Assim como em qualquer atividade técnica, criar um wireframe pode ser mais difícil para quem está começando. Mas, com certeza, com o tempo e acúmulo de experiência, esse processo vai ficando cada vez mais fácil e rápido.

Confira a seguir um pequeno guia com dicas para te ajudar no desenvolvimento de um wireframe.

1. Procure inspiração e referências

Antes de começar a criar seu wireframe, procure projetos similares ao que você irá desenvolver para buscar inspiração e referência.

A maioria dos portfólios de UX Design contém wireframes, então você pode dar olhada em modelos de wireframes em sites como Behance.

No entanto, você não precisa passar muito tempo nisso nem preparar um material sobre essa busca. Esse é apenas um momento para se inspirar antes de iniciar o seu próprio wireframe.

2. Tenha o seu fluxo de usuários mapeado

Para não se perder em seu próprio projeto, faça um mapeamento do fluxo que deseja que seu usuário siga antes de começar a desenhar wireframes. Nesse sentido, é essencial que você tenha o conceito e objetivo bem definidos.

Uma boa estruturação de interface permite que os usuários sejam autossuficientes e naveguem intuitivamente. Assim, você diminui o nível de frustração do usuário e garante que ele permaneça por mais tempo em sua interface.

Dica de Leitura:Por Que a Jornada do Usuário é Tão Importante em UX Design?

Wireframes Estudo de Caso Wikipedia – Nível 2 Bootcamp MID Aluno Diego Crovador

3. Crie blocos no seu wireframe

Agora é hora de começar a trabalhar em seu projeto. Portanto, pegue papel e caneta e tenha o usuário final e objetivos de negócios muito bem definidos para esta fase.

Nesta etapa, você deve pensar em fatores como:

  • Expectativas do usuário: o que ele espera encontrar em certas áreas da interface;
  • A posição da sua mensagem principal e de seu logo;
  • Qual será a primeira coisa que o usuário encontrará quando entrar em sua interface;
  • Onde posicionar sua call-to-action.

Com isso em mente, você pode separar o seu conteúdo em diferentes blocos e posicioná-los de acordo com o seu objetivo ao longo da página. Lembre-se de utilizar somente tons de cinza e apenas representar os espaços das imagens que serão inseridas.

4. Preencha os detalhes

Agora que você já tem seu fluxo de usuários e telas desenhadas, o próximo passo é adicionar alguns detalhes para preparar o wireframe para a etapa seguinte do projeto (mockup).

Mas lembre-se: o seu wireframe é o esqueleto do projeto, portanto pense em detalhes funcionais, como:

  • Posicionar o logo e a home no canto superior esquerdo;
  • Colocar uma caixa de pesquisa do canto superior direito;
  • Entre outras formas simples e eficientes de chamar a atenção do usuário.
Wireframe para projeto de Debora Seibert, aluna do bootcamp Master Interface Design

5. Estabeleça um prazo para finalizar o wireframe

Definir os prazos de um processo de trabalho é bastante comum e recomendado para qualquer atividade. No desenvolvimento de wireframes não é diferente.

Portanto, estabeleça um prazo factível para conseguir desenvolver e entregar o material.

No entanto, tome cuidado com algumas questões:

  • O objetivo do wireframe é validar e comunicar ideias, portanto, não há necessidade de criar algo complexo e que tome muito do seu tempo;
  • Não crie apego emocional com o wireframe, afinal, ele ainda não é o produto final e, talvez, muitas ideias sejam descartadas até lá.

6. Não projete demais

O wireframe diz respeito à funcionalidade da interface e não ao design do projeto.

Evite adicionar elementos visuais complexos. Neste momento, menos é mais.

Além disso, não use cores ou imagens. Esses elementos podem te distrair da tarefa principal.

Para ajudar na visualização, você pode usar diferentes tons de cinza e definir espaços e tamanhos para as imagens que for utilizar no futuro.

Wireframes feitos por André Borges, aluna do bootcamp Master Interface Design (MID)

Se for apresentar o wireframe para alguém, não esqueça de deixá-lo limpo e claro para facilitar a visualização do projeto!

7. Lembre do usuário

O wireframe tem o objetivo de validar ideias. Portanto, é importante não se esquecer da experiência do usuário quando estiver desenvolvendo seu documento.

Nesse sentido, lembre-se de levar em consideração as necessidades e as expectativas do usuário com relação àquela interface. Dessa forma, o desenvolvimento do seu wireframe terá mais funcionalidade e chances de bom resultados.

8. Organize seu wireframe

Os sites e aplicativos normalmente são dividos em seções. É interessante separar seu wireframe de forma lógica, representando cada uma das seções importantes do seu produto, como:

  • Home Page;
  • Área para contatos;
  • Demonstração dos produtos.

Além disso, enumere as páginas do wireframe. Dessa forma, você cria uma jornada lógica e evita confusões no momento de apresentar ou revisar seu documento.

Dica de Leitura: As Heurísticas de Nielsen e 10 Dicas para melhorar a Usabilidade de sua Interface

Wireframe para projeto de Thiago Alvarenga, aluno do bootcamp Master Interface Design

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.
Faça parte da comunidade Aela no Telegram!
Receba nossos conteúdos e notícias em primeira mão