Trabalho Remoto: Quais as Perspectivas Durante e Pós-Pandemia?

Entre diversas mudanças e transformações necessárias, as empresas começaram a implementar com mais afinco a modalidade de trabalho remoto durante a pandemia. Mas quais são as reais perspectivas sobre este tipo de trabalho? As mudanças permanecerão no pós-pandemia? E como o mercado de UX Design será afetado? Confira este artigo para encontrar as respostas para essas perguntas!
Trabalho Remoto: Quais as Perspectivas Durante e Pós-Pandemia?

Trabalhar remotamente talvez seja o sonho de muita gente. Poder participar de reuniões e fazer o trabalho estando em casa ou em qualquer outro lugar é motivo do brilho dos olhos de muitas pessoas.

Nesse sentindo, por conta da pandemia, houve uma necessidade de adaptação ao trabalho remoto, dada a importância do distanciamento social.

Mas, apesar das necessidades impostas, quais são as tendências para essa modalidade no futuro pós-pandemia?

O trabalho remoto pré-pandemia

O avanço e o desenvolvimento de novas tecnologias, as novas relações de trabalho e mentalidade diferentes já estavam fazendo a diferença sobre novas modalidades de trabalho.

Nesse sentido, o trabalho remoto já era uma realidade para muita gente, mesmo antes de 2020 e da pandemia.

Muitas empresas já tinham políticas de Home Office, por exemplo, garantindo mais flexibilidade e qualidade de vida para seus funcionários.

Além disso, ferramentas como Slack, Teams, Zoom e Skype já eram utilizadas para a colaboração remota entre pessoas e times; e cerca de 70% dos trabalhadores no mundo já trabalhavam remotamente ao menos 1 vez por semana.

Essa adaptação das empresas é também um reflexo das vontades e perspectivas das pessoas. Em um estudo da Buffer, 98% dos entrevistados disseram que gostariam de trabalhar fora do escritório pelo menos uma vez em sua carreira.

Fonte: Buffer

Portanto, o cenário do trabalho remoto vinha crescendo, por consequência das tecnologias e das novas mentalidades das empresas e dos próprios profissionais.

Era uma questão de tempo para que essa modalidade ganhasse força e fosse vista como algo completamente normal.

Nesse sentido, a pandemia conseguiu acelerar esse processo de migração do trabalho presencial para o trabalho remoto.

Dica de Leitura: UX/UI Design: Vale a pena migrar em 2021?

A pandemia e as mudanças necessárias das empresas

Se a migração para o trabalho a distância era apenas uma questão de tempo, 2020 encurtou essa corrida.

A crise estabelecida pela Covid-19 fez com que as empresas tivessem que se adaptar com mais velocidade a esse novo cenário. O distanciamento social é uma das armas eficazes na luta contra a doença.

Nesse sentido, as empresas implementaram transformações digitais que levariam anos, em semanas. Um estudo da consultoria McKinsey reportou a velocidade dessas transformações:

Fonte: McKinsey

No gráfico acima, podemos observar que a transformação mais rápida está relacionada ao trabalho remoto.

O que antes era previsto acontecer em 454 dias, acabou acontecendo em apenas 10!

Além disso, essas mudanças não são temporárias. O mesmo estudo da McKinsey trouxe que as empresas respondentes acreditam que as grandes transformações vieram para ficar.

Fonte: McKinsey

Com relação às mudanças sobre trabalho remoto, 54% dos entrevistados disseram acreditar que essa transformação será permanente.

Portanto, se antes da pandemia o trabalho remoto era uma ideia que ainda deixava dúvidas e precisava ser fortalecida, durante a pandemia essa mentalidade mudou completamente.

As empresas puderam comprovar que essa modalidade funciona e que vale a pena implementá-la permanentemente para os funcionários.

As tendências do trabalho remoto para o futuro

As tendências do trabalho remoto pós-pandemia são bastante promissoras. Esse período conturbado proporcionou uma nova visão sobre as maneiras de trabalho, tanto do ponto de vista das empresas quanto dos colaboradores.

Apesar de ainda não se ter a certeza de quando que o mundo voltará ao "normal", muitas empresas já dizem que vão migrar parte do seu quadro de funcionários para a modalidade remota, permanentemente.

Em uma pesquisa feita pela Gartner, mostrou alguns resultados interessantes:

  • 74% dos CFOs e líderes da área de finanças planejam migrar 5% de seu quadro de funcionários para o trabalho remoto;
  • 25% dos respondentes da pesquisa planejam migrar 10% do seus funcionários para essa modalidade;
  • 4% dos entrevistados dizem que migrarão 50% dos colaboradores para trabalharem remotamente.

Além disso, um estudo efetuado pela Enterprise Technology Research (ETR) mostrou que os CIOs estão encarando com otimismo as perspectivas para os negócios em 2021.

Segundo a pesquisa, as empresas planejam aumentar o orçamento da área de tecnologia, tendo em vista o sucesso do trabalho remoto durante a pandemia.

Nesse sentido, a perspectiva é que o número de pessoas trabalhando remotamente dobre em 2021.

Dessa forma, o trabalho remoto ganhará mais força e se tornará cada vez mais uma modalidade comum oferecida pelas empresas.

Dica de Leitura: O Que É Lean UX?

Empresas que já anunciaram o trabalho remoto permanente

Antes mesmo da pandemia acabar, diversas empresas já anunciaram que adotaram o trabalho remoto como modalidade a longo prazo para os funcionários.

A maioria dessas empresas são grandes companhias e esse movimento é essencial para empurrar empresas menores a adotarem essas novas mudanças.

  • Microsoft;
  • Indeed;
  • Google;
  • American Express;
  • Airbnb;
  • Zillow;
  • Twitter.

As empresas acima ou prologaram o trabalho remoto para se adequar as novas perspectivas da pandemia, ou anunciaram que os colaboradores podem trabalhar de casa permanentemente.

Vantagens e desafios do trabalho remoto

O trabalho remoto é mais do que uma mera mudança nos processos de uma empresa. Ele representa uma transformação no modo de trabalho, na mentalidade e na vida das pessoas.

Nesse sentido, é normal que haja grandes vantagens na mudança, mas também há grandes desafios, principalmente por ter sido uma transformação tão abrupta e repentina.

Dessa forma, como vantagens do trabalho, podemos citar:

  • Aumento na produtividade: segundo um estudo de Stanford, o trabalho remoto pode aumentar em até 13% a produtividade do funcionário;
  • Redução de custos: tanto para o colaborador quanto para a empresa. Se por um lado as pessoas não gastam mais com gasolina, refeições caras e roupas, a empresa também reduz as despesas com aluguel, luz, água, etc.
  • Redução do estresse: a flexibilidade do trabalho promove uma melhoria na qualidade de vida e, consequentemente, uma redução do estresse;
  • Flexibilidade do horário de trabalho;
  • Melhores oportunidades de emprego: tanto para os profissionais, que podem se candidatar para vagas em outras cidades ou países, quanto para as empresas que não se limitam mais a região do seu escritório físico.

Em contrapartida, trabalhar à distância possui alguns obstáculos, como:

  • Desconectar: a possibilidade de trabalhar de casa mascara os limites do horário de trabalho. É bastante comum pessoas trabalharem além do horário que fariam dentro das empresas, por exemplo;
  • Solidão: trabalho remoto implica em deixar de conviver socialmente como os colegas de trabalho. Claro, estamos colocando uma situação alheia a pandemia, mas que se aplica também para o momento de crise no qual vivemos;
  • Distrações: principalmente se há crianças ou outras pessoas no mesmo lugar do trabalho. Isso pode acabar dificultando o foco do funcionário.

Desafios adicionais em meio à pandemia

As vantagens e obstáculos listados acima são fatores gerais e que levam em consideração um momento "normal", ou pós-pandemia.

No entanto, como visto no começo deste artigo, as mudanças das empresas não aconteceram de forma natural. Elas foram aceleradas por conta da crise da Covid-19. Nesse sentido, é importante ressaltar que esse fator traz alguns reveses.

Falta de preparo e estrutura

Por conta da necessidade de adaptação rápida frente à pandemia, muitas empresas que nem planejavam implementar o trabalho remoto acabaram se forçando a tal.

Nesse sentido, alguns gaps podem ter surgido no que diz respeito a políticas, regras, protocolos e ferramentas.

Portanto, é importante que as empresas entendam essas lacunas e consigam aperfeiçoar os seus processos a fim de melhorar as experiência do funcionário em trabalho remoto.

Dica de Leitura: Como Identificar a Maturidade em UX Design das Empresas?

O contexto estressante da pandemia

As incertezas trazidas pela Covid-19 afetaram a saúde mental das pessoas.

O medo da doença, das instabilidades, de perder entes queridos acaba dificultando o processo do trabalho remoto.

Não estamos vivendo um momento normal para o Home Office e isso precisa ser entendido tanto pelas empresas quanto pelas pessoas.

Acima de tudo, é importante colocar em primeiro lugar a saúde mental dos funcionários e verificar se eles estão confortáveis com o trabalho e como a empresa pode ajudar a reduzir possíveis desgastes.

Cuidado com o Hype

Trabalhar remoto — de qualquer lugar que seja —, em um primeiro momento, pode causar um brilho nos olhos das pessoas.

O pensamento, de certo, não poderia ser diferente: mais qualidade de vida, mais produtividade, mais flexibilidade. Tem tudo para funcionar!

É verdade que todos esses fatores são aperfeiçoados com o trabalho remoto. Vimos até agora diversos estudos que comprovam isso.

No entanto, Robin Dunbar — Professor Emérito de Psicologia Experimental da Universidade de Oxford — alerta para o cuidado com o Hype do trabalho remoto.

Em uma entrevista à BBC, Dunbar mostra a sua preocupação com relação a essa euforia com a modalidade de trabalho remoto.

Ele comenta que o ambiente de trabalho é um fenômeno social importante. As pausas para o café, a socialização, as reuniões cara a cara são essenciais para manter o flow do trabalho.

Além disso, Robin pontua a situação de pessoas que saem de suas casas e cidades e partem para outra localização, sem conhecer pessoas ou ter amigos. Nesses casos, o ambiente de trabalho é fundamental para as pessoas criarem vínculos, laços e amizades. Muitas pessoas fazem amizades profundas advindas do trabalho.

Portanto, é importante tomar cuidado porque o trabalho remoto traz muitas vantagens e oportunidades. Mas há também o lado mais obscuro e sensível do tema.

Os comentários de Dunbar não devem fazer com que as empresas ou pessoas desistam de trabalhar remotamente. Mas devem criar a consciência de que há coisas que podem ser perdidas se não forem lidadas da forma adequada.

Oportunidades interessantes para UX Design

Conforme visto até agora, o trabalho remoto se tornou uma realidade e as mudanças foram aceleradas por conta da pandemia. Empresas estão considerando implementar o trabalho remoto permanentemente e as pessoas possuem diversas vantagens com essa modalidade.

Mas esses dados são favoráveis para o mercado de UX Design?

Com certeza são!

O fato das empresas abrirem espaço para o trabalho remoto permite que as contratações não tenham limites geográficos.

Nesse sentido, o UX Designer possui mais oportunidade de conseguir uma vaga em outra cidade, região ou país, sem ter que se deslocar.

Além disso, a pandemia criou necessidades de transformação digital muito além do trabalho remoto. Dessa forma, as empresas já estão priorizando a contratação de Product Designers para se adaptarem aos novos comportamentos e necessidades do usuário.

Fonte: McKinsey

Adicionalmente, Mark Campbell — consultor da Morgam McKinley — acredita que a tendência para o futuro é o aumento de oportunidades remotas para UX Design. Nesse sentido, Campbell encoraja os designers a trabalharem em seus portfólios e em seus networkings para que se fortaleçam como candidatos.

Dica de Leitura: Entenda Como Usar Melhor o Seu LinkedIn

Oportunidades remotas para UX Design

Com essas perspectivas, se fizermos uma pesquisa rápida no LinkedIn, podemos observar diversas oportunidades remotas para UX Design.

Encontramos não somente oportunidades nacionais, mas também em outros países.

Dessa forma, apesar da pandemia e crise na qual estamos vivendo, as oportunidades para UX Design não diminuíram. Muito pelo contrário, por conta das transformações das empresas e pela adoção — forçada ou não — do trabalho remoto, as vagas estão surgindo cada vez mais.

Portanto, o que podemos esperar do futuro é um aumento da oferta de vagas para UX Design complementada por um aumento de oportunidades remotas.

Nesse sentido, acreditamos que o mercado de UX Design irá se desenvolver cada vez mais.

E se você quiser migrar para UX e não sabe por onde começar, dá uma olhada no nosso curso Bootcamp MID. Trata-se de um curso totalmente online e que ensina tudo sobre UX, desde o zero. Confira nosso artigo explicativo do curso:

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.