Migrar para UX Design: 10 Passos Iniciais

Migrar para UX Design é uma grande decisão e diversas dúvidas aparecem com relação a esse movimento. “Por onde devo começar? O que é importante e o que não é? Quais livros ler? Como montar meu primeiro portfólio?”. Para te ajudar, escrevemos, neste artigo, os 10 primeiros passos essenciais para você migrar para UX! Confira!
Migrar para UX Design: 10 Passos Iniciais

Tomar a decisão de mudar de carreira e migrar para UX Design não é fácil. É preciso bastante reflexão e coragem para dar o primeiro passo.

Mas após essa primeira decisão, é normal sentir-se um pouco perdido sobre quais são os próximos passos e o que você deve fazer ou não para conseguir migrar para UX Design.

A jornada não é simples, mas tudo tem começo, não é mesmo?

Portanto, listamos 10 passos iniciais que consideramos imprescindíveis para você começar a sua jornada e migrar para UX Design.

Vamos lá?

1) Trace um plano de ação para migrar para UX

Quando queremos nos aventurar em alguma mudança em nossas vidas, a empolgação é uma grande aliada. Estar motivado faz toda a diferença e é importante se manter assim, na medida do possível.

Contudo, não são só as emoções que são importantes para você conseguir migrar para UX.

É preciso ter um plano e pensar nessa mudança como um grande projeto de vida.

Portanto, alguns pontos são importantes de serem ressaltados:

  • Pesquise sobre a carreira e sobre o mercado de UX Design;
  • Entenda quais são as possibilidades de atuação em UX;
  • Converse com outras pessoas que fizeram o mesmo movimento, ou leia as entrevistas dos nossos alunos que migraram também;
  • Monte um cronograma com um prazo estimado para efetuar a migração;
  • Pense na questão financeira e nos investimentos que você terá que fazer;
  • Esteja preparado para contratempos e imprevistos.

Sente e coloque tudo no papel. Empenhe-se em fazer este plano, pois ele será o seu guia nessa jornada para UX Design.

Coloque tudo o que você pesquisou e quais opções você gostaria de seguir/ investir. A partir disso, comece a montar o seu cronograma, pensando nas ações que devem ser tomadas em cada etapa.

Ao final de cada etapa, faça uma reflexão sobre os aprendizados e desafios, como se fosse um auto feedback.

Entenda que, apesar de ser um plano-guia, é preciso ter flexibilidade e muitas vezes efetuar mudanças no cronograma ou até mesmo no plano em si. E tudo bem fazer isso!

Dica de Leitura: 11 Medos Que Te Impedem de Migrar para UX Design

Para inspirar: pessoas que planejaram migrar para UX Design

Em nossa comunidade de alunos do MID, encontramos alguns exemplos de pessoas que planejaram migrar para UX e conseguiram alcançar um resultado muito rapidamente. Veja:

"Logo no início já tracei uma meta: em um ano de estudos teria que estar no mercado de trabalho de UX/UI Design." Vanessa Souza

"Quando eu decidi que queria focar em Product Design, eu fiz um plano de seis meses para migrar totalmente de área. Foquei quase que completamente no MID, estudando todo dia mesmo e comecei a me preparar para procurar vagas na área. Eu me planejei para conseguir uma vaga até março, mas percebi em fevereiro que o meu cronograma iria atrasar — acabei conseguindo uma oportunidade em maio. " – Daiane Thomé

"Comecei a estudar em janeiro de 2018 e logo já determinei regras claras para mim. Uma delas foi focar 100% nos estudos e tracei uma meta que em 8 meses estaria no nível 3 e melhorado o portfólio. Eu estudava em média 7 horas por dia e tirava os finais de semana para descansar." – André Borges

Esses alunos e muitos outros conseguiram a tão sonhada oportunidade em UX Design dentro de 1 ano ou menos. Confira outros depoimentos nesse artigo.

Portanto, percebemos que ter um planejamento é essencial para conseguir organizar o seu processo de migração para UX.

Não podemos dizer que é uma regra, porque existem pessoas conseguem migrar sem um plano bem estruturado. Mas tenha certeza de que estabelecer um plano e metas vai te ajudar muito nessa caminhada.

2) Conheça e desenvolva as habilidades necessárias

Assim como qualquer profissão, UX Design requer que as pessoas tenham certas habilidades técnicas e comportamentais.

No entanto, quando falamos sobre habilidades técnicas, não quer dizer que para migrar para UX é preciso possuir um background em design. Aliás, quanto mais diverso o seu background, melhor.

Mas é preciso ter em mente que é necessário desenvolver certas habilidades para obter boa performance em UX Design, como:

  • Habilidade de pesquisa: tendo em vista que uma área importante dentro do UX é a parte de research, é importante desenvolver tal habilidade;
  • Design Visual: dominar o Design Visual não é fundamental, mas é essencial que compreenda seus conceitos básicos;
  • Gerenciamento de projetos: entender como implementar um projeto e como administrar as atividades e entregas é essencial na vida de um UX Designer;

Sabemos que essa lista pode assustar, mas não se preocupe. As habilidades técnicas não são impossíveis de serem aprendidas. Portanto, caso você perceba que precise se familiarizar com alguns conceitos, estude.

Habilidades comportamentais – Soft Skills

Além das habilidades técnicas – Hard Skills — é importante entender que as habilidades comportamentais — Soft Skills — também são muito importantes para você conseguir migrar para UX Design.

No entanto, se as Hard Skills são mais "fáceis" de serem aprendidas, as Soft Skills levam um pouco mais de tempo e de experiência no mercado. Isso porque as habilidades comportamentais requerem mais reflexão e precisam da experiência prática para serem fortalecidas.

Algumas dessas habilidades são:

  • Boa comunicação: para estabelecer um bom entendimento perante a sua equipe e demais stakeholders;
  • Empatia: para, principalmente, entender as necessidades do usuário final;
  • Trabalho em equipe: porque uma equipe é formada a partir de perfis de pessoas diferentes e manter o desempenho é essencial;
  • Desapego: porque nem sempre a sua ideia será utilizada.

Em um primeiro momento, as Soft Skills podem parecer mais simples de serem aprendidas, mas não se engane. É preciso tempo e paciência para aperfeiçoar cada uma delas. Entretanto, talvez você já as possua, tendo as adquirido em outras experiências de trabalho, mesmo em áreas diferentes do Design.

Dica de Leitura: 5 Soft Skills necessárias em UX Design

3) Leia livros sobre UX Design

Os estudos são fundamentais para quem quer migrar para UX.

Por isso, é bastante importante ler e estudar diversos livros e textos que explicam os conceitos básicos do UX. A leitura vai te dar bastante base teórica e, além disso, vai abrir a sua cabeça para novos tipos de pensamentos.

Sabemos que há diversos livros ótimos, e pode ser um pouco confuso saber por onde começar seus estudos.

Portanto, pensando nisso, nós recomendamos 3 livros básicos e essenciais para você começar a entender sobre UX:

  1. O Design do dia a dia – Don Norman;
  2. Simplificando coisas que parecem complicadas – Steve Krug;
  3. Não me faça pensar – Steve Krug.

A lista acima é apenas um começo. Você deve sempre buscar novas leituras que possam agregar no seu aprendizado.

Além dos livros, você sempre pode recorrer aos conteúdos gratuitos na internet.

No nosso Blog, você encontra diversos artigos sobre mercado, conceitos e carreira em UX Design. Vale a pena conferir!

4) Aprenda UX Design na prática

Ler livros e artigos é muito importante para o seu aprendizado, mas UX Design é uma profissão bastante prática. Portanto, não há melhor maneira de aperfeiçoar os seus aprendizados teóricos do que colocando a mão na massa.

Contudo, a primeira questão que vem à cabeça é: se eu quero migrar para UX Design, como que eu consigo ter aprendizados práticos?!

Em um primeiro momento, pode parecer que a prática virá somente a partir de um emprego formal. Mas, na verdade, existem algumas opções. Uma delas seria através de cursos que enfatizam a parte prática do UX Design, com diversos exercícios.

É assim no nosso Bootcamp MID – Master Interface Design. Lá, ensinamos a parte teórica e como colocá-la na prática, com diversos exercícios em cada nível.

O MID é composto por 11 níveis e ao final de cada nível é proposto um exercício prático. A partir desses exercícios, os nossos mentores concedem feedback para o aperfeiçoamento do exercício.

Dica de Leitura: Saiba Mais Sobre o Bootcamp MID

5) Monte um portfólio em UX

O UX Design é uma profissão cuja experiência e projetos passados contam muito em uma entrevista de trabalho, por exemplo.

Dessa forma, a construção de um portfólio é essencial e imprescindível para que você encontre boas oportunidades e consiga migrar para UX Design.

No entanto, construir um portfólio não é apenas jogar as imagens finais dos seus projetos em um link. Muito pelo contrário.

O portfólio deve levar em conta todo o pensamento considerado e pesquisas feitas para a construção das soluções e resoluções finais. É essencial que você demonstre a sua linha de raciocínio e quais os argumentos que compõem o resultado.

Legal, estamos falando de como construir um portfólio em UX. Mas então, você levanta a questão: como vou montar um portfólio se ainda não trabalhei efetivamente com UX?

Fica calmo! Você consegue montar um portfólio mesmo sem ter trabalhado em uma empresa como UX Designer.

Você pode utilizar seus próprios exercícios e estudos de redesign para compor o seu portfólio inicial. Isto é, coloque projetos "fake", mas trabalhe neles como se fossem reais. Monte a sua linha de raciocínio, faça pesquisas e demonstre tudo isso no portfólio.

Pode parecer ingênuo acreditar que as empresas podem te contratar apenas apresentando projetos-exercício, mas a verdade é que essa situação é bem corriqueira.

Para inspirar: alunos que utilizaram exercícios do MID em seu portfólio e conseguiram vagas em UX Design

Vanessa Souza

"…quando eu ainda estava ainda no nível 2 do MID, já comecei a preparar meu portfólio com alguns projetos do nível 1 e 2."

Rodrigo Guilherme

"…o meu portfólio só possuía dois trabalhos de UX na época, que foram desenvolvidos durante os 2 primeiros níveis do MID."

Joyce Almazan

"…consegui montar um portfólio da noite para o dia. Juntei 3 peças mais um case completo, utilizando os exercícios do Bootcamp MID. Apresentei o portfólio e passei no processo."

Fábia Coelho

"…durante o Bootcamp eu fui montando meu portfólio através dos projetos de UX, interface, e redesign propostos e das orientações meticulosas dos mentores do MID."

Gabriel Bezerra

"…eu já estava no Master Interface Design (MID) e coloquei alguns trabalhos do curso que estavam bem mais completos e estruturados."

Esses são apenas alguns exemplos, no meio de muitos outros, que servem para mostrar como você pode montar o seu portfólio baseado somente em exercícios e conseguir uma vaga em UX Design.

Dica de Leitura: Confira as Entrevistas com Alunos do MID que Migraram para UX Design

6) Encontre um mentor que te auxilie a migrar para UX

Um mentor é uma pessoa que consegue te orientar, aconselhando sobre como você pode se aprimorar em sua vida profissional.

Ter um mentor é um facilitador no seu processo para migrar para UX Design. Não é imprescindível, mas ele te ajudará em muitos momentos.

O mentor tem bastante experiência em UX Design e pode te ajudar de diversas formas:

  • Experiência técnica;
  • Habilidades comportamentais;
  • Experiência em projetos e em diversos desafios;
  • Novo olhar sobre o seu problema;
  • Networking.

Portanto, encontrar um mentor é bastante interessante do ponto de vista de aprendizagem, principalmente, mas não exclusivamente, quando você estiver migrando para UX.

É bastante confortante ter esse tipo de ajuda, especialmente no começo dessa jornada.

Mas onde você consegue encontrar um mentor?

O lugar mais comum de encontrar um mentor é no próprio ambiente de trabalho. Sabe aquele profissional que você admira? Que tal convidá-lo para um café?

Mas existem outras maneiras de encontrar um mentor:

  • Comunidades na internet;
  • Cursos, como o MID;
  • Programas profissionais de mentoria.

Apesar de não ser imprescindível, ter um mentor para trocar ideias e experiências é extremamente enriquecedor.

7) Conheça algumas ferramentas básicas em UX Design

Quando você estiver no processo de migrar para UX, é importante pesquisar e conhecer alguns softwares básicos para trabalhar com UX Design.

Ter o conhecimento prévio dessas ferramentas não é essencial, você pode migrar para UX do completo zero. Já que muitas ferramentas você aprenderá no dia a dia da profissão e conforme a necessidade do projeto e da empresa que estiver atuando.

No entanto, é importante ressaltar que existem ferramentas da rotina do UX Designer que, eventualmente, você precisa conhecer.

Mas qual ferramenta você deve conhecer?

Bem, tudo depende de qual área de atuação dentro do UX que você quer seguir. Entenda primeiro essas possibilidades e então comece a procurar quais são as ferramentas específicas para esta área.

Entretanto, existem alguns softwares básicos que valem a menção:

  • Sketch;
  • Adobe XD;
  • Photoshop;
  • Axure;
  • Invision.

Lembre-se de que para migrar para UX você não precisa dominar cada uma dessas ferramentas. Na verdade, você irá aprender a utilizá-las durante a sua rotina de trabalho, o famoso Learn by Doing. Mas é interessante você já começar a se familiarizar com eles.

Dica de Leitura: Ferramentas de UX/UI Design para Você Conhecer

8) Não pare de estudar

UX Design é uma profissão bastante dinâmica. Novas ideias e novas tendências aparecem com cada vez mais rapidez.

Portanto, apesar dos conceitos básicos de UX continuarem imutáveis, é importante sempre se manter atualizado com o mercado, com novas práticas, com novas ferramentas e soluções.

Procure sempre conteúdos de qualidade, pagos ou gratuitos, para não se acomodar e acabar ficando ultrapassado.

Conforme for avançando na área, você começará a tomar conhecimento sobre palestras, workshops e conferências. Esses eventos também são bastante importantes para você se atualizar e aprender coisas novas.

A Nielsen Norman Group, por exemplo, promove a UX Conference. Neste evento acontecem diversos workshops e palestras sobre os mais variados temas dentro do UX Design.

A UX Conference, inclusive, é uma referência no mundo do UX Design.

Nossos mentores já participaram de diversas edições da UX Conference e você pode conferir quais foram os aprendizados obtidos em um desses eventos, neste artigo.

E, claro, aconselhamos continuar sempre acessando o blog da Aela, porque criamos conteúdos que vão te ajudar a migrar para UX e a se consolidar na carreira — assine nossa newsletter para não perder nenhum conteúdo.

9) Faça networking

Estabelecer uma rede de contatos é essencial em qualquer profissão e não é diferente em UX Design.

O Networking é um passo bastante importante que não te ajuda somente a migrar para UX, mas também para obter novas oportunidades mesmo já consolidado na área.

Portanto, fortaleça seus contatos e se aproxime de outros profissionais de UX. Essa troca de experiências e de ideias é fundamental não somente para criar novas oportunidades, mas também para contribuir com seus aprendizados.

Para trabalhar seu Networking você pode:

  • participar de comunidades sobre UX Design;
  • participar de feiras e de eventos relacionados;
  • fazer um curso que possibilite interação com outros alunos.

A tomar de exemplo o curso MID, nossos alunos possuem uma comunidade onde há trocas de experiências e de ajuda. Além disso, muitas oportunidades de trabalho são divulgadas em nossa comunidade.

Para inspirar: networking dos alunos MID

"O Diogo, outro aluno do MID, postou a vaga em nossa comunidade, e eu decidi aplicar. Fiz uma entrevista com ele numa sexta, enviei os testes que fiz durante o fim de semana. E na terça da outra semana já recebi o resultado que havia passado." – Vanessa Souza

"A segunda oportunidade foi dentro da rede de pessoas que conheci durante meu processo de migração para UX Design. Eu fiquei amiga de uma pessoa que também era da área de UX. Ele me ajudou com várias dicas e a me desenvolver na profissão e inclusive comentava sobre vagas. Depois de um tempo, ele me indicou uma vaga de UX Designer…" – Nicole Marinho

"Nesses eventos que participo relacionados a Design e empreendedorismo, tive a oportunidade de fazer contato com várias pessoas. Através de um desses contatos, recebi uma indicação para essa vaga na startup Alfred Delivery." – Alyson Ambrosio

"[O que tem] maior valor para mim é a comunidade da Aela. Poder trocar experiências, a motivação e energia positiva que rola quando alguém consegue uma vaga legal, principalmente no exterior, é muito legal e incentiva demais a você continuar estudando." – Alyson Ambrosio

"… uma colega minha entrou em contato dizendo que tinha uma vaga aberta para UX Designer na Wunderman Brasil, uma agência de publicidade onde eu já havia trabalhado. Como conhecia o ambiente de trabalho e as pessoas, resolvi tentar juntar o útil ao agradável e decidi participar do processo." – Joyce Almazan

10) Use o LinkedIn

O LinkedIn é uma ferramenta bastante interessante para fortalecer seu networking, procurar oportunidades de trabalho e conseguir migrar para UX.

Diversos alunos relatam terem sido contactados pelo LinkedIn por recrutadores e gestores de empresas para participarem de processos seletivos em UX Design.

Contudo, apesar de parecer simples de se usar, existem algumas dicas importantes para você obter resultados profissionais com essa rede social:

  • O LinkedIn não é uma rede de entretenimento, portanto tome cuidado com o que você posta. Limite-se a conteúdos profissionais;
  • Leve em consideração o SEO do LinkedIn para conseguir alcançar mais pessoas e recrutadores interessados em perfis como o seu;
  • Organize o seu perfil de uma forma clara. Lembre-se que ele é como se fosse o seu currículo virtual;
  • Faça uma carta de apresentação no seu perfil;
  • Caso procure vagas internacionais, lembre-se de deixar seu perfil em inglês.

Outro ponto importante é sempre manter seu perfil atualizado.

Crie um perfil para mostrar os seus interesses, habilidades e experiência. Não limite-se utilizar o LinkedIn apenas para procurar vagas.

Dica de Leitura: LinkedIn para Designers – Dicas Para Melhorar Seu Perfil

Qual tipo de pessoa pode migrar para UX Design?

Sabemos que a vontade de migrar para UX é bastante grande, afinal de contas, UX Design é uma profissão incrível.

Contudo, o UX Design tem características próprias e possuir um perfil que se adeque à profissão vai facilitar o processo de migração. Não corresponder a esse perfil, não te impossibilita de migrar, que isso fique claro!

Mas achamos pertinente enumerar as características mais comuns por entre os UX Designers para você refletir se você se encaixa mais ou menos neste padrão.

A ideia é fornecer um panorama para você entender quais as pessoas que melhor se identificam com UX Design.

Amantes do bom Design

Nada mais óbvio, para um UX Designer, do que amar bons designs de produtos.

Mas o que é um bom design? Não é somente um design arrojado em cores e formas. Mas também é um design que traga funcionalidade e uma boa experiência para o usuário.

Se você é do tipo de pessoa que gosta de designs funcionais e que facilitam a vida das pessoas, UX Design vai te fornecer isso.

Buscadores de soluções

O UX Designer é o tipo de pessoa que gosta de buscar soluções e resolver problemas dos diversos tipos.

Nos projetos de UX, você irá se deparar com diversos obstáculos. Seja na Jornada do Usuário ou seja nas funcionalidades do produto.

Como UX Designer você tem que trazer soluções criativas para superar esses obstáculos e desenvolver um produto funcional para o usuário.

Organizados

O dia a dia do UX Designer é bastante dinâmico. Ele trabalha com diversas pesquisas, análises, protótipos e reuniões. Dessa forma, é fundamental que você seja uma pessoa organizada, porque, em UX, a desorganização traz improdutividade e desperdícios.

Curiosos

Como visto acima, um dos passos que você deve fazer para migrar para UX é não parar de estudar.

E uma das características de quem gosta de estudar é a curiosidade para novos aprendizados.

Dessa forma, o UX Designer é uma pessoa curiosa em sua essência. Que procura novos aprendizados para criar novas soluções e novas maneiras de desenvolver seus projetos.

Persistentes

A persistência é uma característica bastante presente no perfil do UX Designer.

Nos projetos e na busca pelas melhores soluções para o usuário ocorre bastante o processo de tentativa e erro. O acerto não vem na primeira vez.

Por isso que ser persistente e não desistir facilmente é uma característica essencial em UX Design

Dica de Leitura: 10 Características de Quem Se Dá Bem em UX Design

Quais os principais medos que te impedem de migrar para UX?

Toda mudança envolve diversos medos e inseguranças, isso é normal, já que migrar para UX é uma grande decisão e uma grande mudança na sua vida. Entretanto, você não pode deixar que os medos e insegurança te impeçam de realizar seus objetivos.

Pensando nisso, listamos os 4 principais medos que podem surgir e explicamos porque você não deve se deixar paralisar por eles.

1) Não tenho background para migrar para UX:

Este deve ser o medo mais recorrente que aparece para quem quer migrar para UX.

No entanto, é um medo que não é real, já que não é preciso ter background específico para migrar para UX.

Na verdade, o background diverso em outras áreas é até interessante por trazer novas habilidades para os processos de UX Design.

Portanto, não se preocupe. Não ter background não é um impeditivo para migrar para UX.

Dica de Leitura: Preciso ter Background em Design para Migrar para UX?

2) Não quero fazer uma nova faculdade

A graduação em UX Design não é essencial para que você comece a trabalhar na área.

Na verdade, mais valioso do que um diploma é ter um bom portfólio. Uma vez que UX Design é uma área bastante prática, a sua experiência conta muito mais do que um curso em faculdade.

Portanto, não se preocupe. Mas apesar de não haver necessidade de um diploma é sempre importante você continuar estudando e se aperfeiçoando cada vez mais na profissão.

3) Não tenho mais idade para migrar para UX

A questão da idade é uma preocupação que atinge diversas profissões e situações. Principalmente quando falamos em mudança para uma nova carreira, o medo da idade aparece quase que instantaneamente.

Mas a verdade é que não existe uma idade certa para migrar para UX. Aliás, existem diversos casos de alunos do MID que conseguiram migrar depois dos 40 anos:

O mais importante é o planejamento que você construiu para migrar e a sua dedicação aos estudos. Com isso, a idade realmente não importa.

4) Vai demorar muito para conseguir minha primeira oportunidade

Apesar da experiência contar bastante no currículo do UX Designer, o tempo que demora para as pessoas conseguirem a primeira oportunidade em UX não é tão longo.

O mercado de UX Design está bombando e, por conta disso, o número de oportunidades na área está aumentando cada vez mais. Isso somado à consciência da importância do UX, as empresas estão cada vez mais investindo nas suas equipes de UX Design.

Portanto, não se preocupe, porque você pode conseguir sua primeira oportunidade bastante rápido. Há alunos do MID que conseguiram migrar para UX em menos de 1 ano! Veja alguns exemplos e inspire-se:

Esperamos que este artigo possa ter te ajudado a esclarecer melhor quais são os primeiros passos para conseguir migrar para UX Design. E caso precise de mais ajuda ou orientações estamos por aqui!

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.
Faça parte da comunidade Aela no Telegram!
Receba nossos conteúdos e notícias em primeira mão