LinkedIn Para Designers: Dicas Para Melhorar Seu Perfil

O LinkedIn é uma ferramenta incrível para fazer conexões profissionais, criar networking e relações importantes. No entanto, muitos designers ainda não descobriram o potencial dessa rede social profissional. Confira nesse artigo dicas valiosas para potencializar o seu currículo e descobrir mais sobre as oportunidades que o LinkedIn pode te proporcionar.
LinkedIn Para Designers: Dicas Para Melhorar Seu Perfil

O LinkedIn é uma rede social voltada para os negócios e vida profissional.

Nesse sentido, ter um perfil nessa plataforma é essencial para você criar conexões profissionais, compartilhar conteúdos sobre negócios, procurar por vagas e contratar pessoas.

No entanto, ainda pode ser um pouco complicado entender a dinâmica do LinkedIn e como utilizá-lo corretamente.

Como UX Designer, é importante saber criar e manter um perfil na plataforma para conseguir oportunidades e divulgar o seu trabalho e experiência.

Este artigo foi baseado no episódio do Aelacast, sobre LinkedIn para Designers. Se você preferir ouvir o episódio, acesse logo abaixo:

LinkedIn para UX Designers

A utilização do LinkedIn é um assunto que sempre cria dúvidas nos alunos do Master Interface Design (MID) e dos ouvintes do podcast da Aela.

“Como funciona? Como se posicionar nessa rede? Qual a melhor forma de utilizá-lo?” são as perguntas mais recorrentes.

O primeiro aspecto a frisar é: O LinkedIn não é seu Facebook!

Por mais que seja considerado uma rede social, pelo fato das pessoas se comunicarem e criarem relações, o foco é completamente diferente do Facebook. A proposta do LinkedIn é totalmente voltada para a área profissional.

Infelizmente, é impressionante ver quantas pessoas ainda não entenderam isso. E basta navegar um pouco na plataforma para encontrar postagens pessoais, opiniões políticas, desabafos, entre outros assuntos que não se relacionam com a vida profissional.

Ao contrário disso, o LinkedIn foi criado para ser uma rede profissional. O seu perfil é uma espécie de currículo, por isso deve estar sempre atualizado com suas experiências e com conteúdos de qualidade.

Veja, como exemplo, os perfis de LinkedIn dos nossos mentores:

O que você compartilha no LinkedIn?

Dentre os principais objetivos que essa rede profissional possui, podemos citar:

  • estabelecer relações com outros profissionais da área;
  • buscar oportunidades e vagas de trabalho;
  • criar um networking;
  • apresentar a sua experiência profissional;
  • estabelecer parcerias.

Por isso, é necessário preocupar-se com os tipos postagens, quem irá ler e o que a pessoa está buscando na sua página. Uma dica é não postar na rede algo que não faria/falaria em uma entrevista de emprego.

Além disso, é importante frisar que o algoritmo do LinkedIn é diferente do Facebook. Quando uma pessoa curte uma postagem é como se a estivesse compartilhando; e o seu alcance é maior conforme o número de curtidas.

Portanto, suas postagens são um reflexo da sua vida profissional. A partir desse conhecimento, é importante analisar bem as postagens que irá curtir, pois irão repercutir para toda sua rede de contatos.

Crie bons relacionamentos e novos contatos

A oportunidade de novos contatos é outro tópico importante ao se falar sobre LinkedIn. A rede possibilita se conectar tanto com outros profissionais, quanto com recrutadores que entram em contato para divulgar oportunidades de trabalho.

Por essa razão, é aconselhável que se mantenha um bom relacionamento com todas as pessoas que você se comunicar.

Tenha em mente que todo contato pode significar oportunidades em potencial, seja para o presente, seja para o futuro.

Nesse sentido, por mais que a vaga oferecida não desperte seu interesse naquele momento, todo contato e conversa deve ser estabelecida de forma humana e amigável.

Isso demonstra simpatia e profissionalismo da sua parte. E quem sabe essa comunicação não crie uma relação profissional importante para você?

Com relação a isso, nosso mentor Felipe Guimarães tem uma dica muito interessante.

Ele faz questão de responder todas as mensagens que recebe de recrutadores, seja para qualquer tipo de oportunidade. Agradece pelo contato e, caso ele não tenha interesse naquela oportunidade, busca conectar ou divulgá-la para outros profissionais.

Dica de Leitura: 11 Medos Que Te Impedem de Migrar para UX Design

Dicas para criar um perfil profissional no LinkedIn

Para quem está começando no LinkedIn, dois fatores são essenciais para aliar a rede ao seu objetivo profissional.

  1. Levar em consideração o SEO da plataforma: as empresas e recrutadores buscam por termos e palavras-chaves, e seu perfil precisa ser encontrado por essas buscas. Para isso, exponha suas skills na introdução e descreva suas experiências com palavras relacionadas ao Designer;
  2. Organizar seu perfil de forma mais clara: Divida-o em top skills para agilizar a leitura de quem está procurando um perfil ideal para uma oportunidade. Coloque também uma breve explicação sobre as suas experiências, e não apenas o nome do cargo que ocupou.

Além disso, considere criar uma espécie de carta de apresentaçãocover letter — no seu perfil do LinkedIn. Escreva um pequeno resumo das suas habilidades e experiências para se apresentar profissionalmente e criar uma expectativa sobre o que as pessoas encontrarão mais a fundo em seu perfil.

Ao formular esse texto, sempre pense em quem visitará seu perfil, pois muitos recrutadores leem centenas de perfis e o seu precisa estar legível e, principalmente, se destacar em meio a tantos outros.

Outra dica é tomar cuidado com a foto do perfil. Lembre-se que o LinkedIn representa seu currículo. Portanto, a foto precisa ser profissional e nítida. Evite muitas cores, e momentos informais demais.

Preencha o status do seu perfil

Uma ferramenta interessante que o LinkedIn oferece é uma espécie de status no seu perfil. Se você está procurando uma vaga, é possível colocar “interesse por carreira”, o lugar que deseja trabalhar e sua disponibilidade. Essas tags direcionam e agilizam o trabalho dos recrutadores.

Outra possibilidade, é colocar seu perfil em outros idiomas. Então, se você tem interesse em realizar trabalhos para empresas internacionais, ou busca mudar do Brasil, é essencial que seu perfil esteja na língua de foco. Principalmente o inglês.

LinkedIn Premium

Há muitas dúvidas sobre ter um perfil Premium ou não. Isso vai depender do momento em que a pessoa se encontra. A vantagem da conta Premium é que a busca é melhor, e na hora de se comunicar é possível fazer de forma mais ágil e eficiente.

Existe também a opção de fazer um upgrade no perfil básico do LinkedIn que irá permitir buscas ilimitadas durante o mês.

Dica de Leitura: Quais as Perspectivas do Trabalho Remoto Durante e no Pós-Pandemia?

Busque por empresas

Outro ponto interessante do LinkedIn é poder visitar o perfil das empresas para conhecê-las melhor.

Averiguar quem trabalha ou já trabalhou é um ótimo filtro para pesquisar mais sobre as empresas e as oportunidades que elas oferecem. Com isso, é possível ter um panorama geral das possibilidades que você pode conseguir futuramente.

A Aela também está no LinkedIn e sempre trazendo conteúdos sobre a área de UX Design que vão te auxiliar desenvolver em sua carreira como Designer. Nos acompanhe por lá.

Atualize seu perfil com frequência

Muitas pessoas criam uma conta no LinkedIn apenas para pesquisar vagas de emprego e não cuidam do perfil. Porém, é aconselhável que o perfil esteja muito bem montado e sempre atualizado com suas experiências e conteúdos relevantes sobre sua área de atuação profissional.

Essa atualização constante cria repercussão para outros usuários da rede e você estabelece seu network. Adicionar recrutadores, empresas e outros profissionais da área geram conhecimentos e oportunidades para os usuários. Inclusive, o LinkedIn permite que você deixe uma nota ao adicionar um contato. É interessante deixar uma pequena mensagem se apresentando — nome, de onde é, o que faz — pois demonstra profissionalismo.

Outro conselho importante é na hora de fazer buscas. Tente a palavra-chave que você busca, mas variações também. A questão da nomenclatura pode mudar de lugar para lugar. Por exemplo, se você trabalha como Interaction Designer, coloque também UI/UX, Lead Designer etc.

A última dica é limpar seu feed para sempre ver conteúdos relevantes que irão contribuir para seu conhecimento profissional.

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.