Carreira
Efeito Dunning-Kruger: A Gente Sabe o Que Acha Que Sabe?
Baixar em PDF
Lista de conteúdos
Carreira

Efeito Dunning-Kruger: A Gente Sabe o Que Acha Que Sabe?

Efeito Dunning-Kruger: A Gente Sabe o Que Acha Que Sabe? cover

O Dunning-Kruger é um efeito que afeta a maneira com que as pessoas reconhecem seus próprios conhecimentos ou habilidades em determinado tema.

Você já viu — ou discutiu com — uma pessoa que tinha uma confiança exagerada sobre a própria competência? Ou então que não possuía uma boa performance no trabalho, mas acreditava ter um excelente desempenho?

Essas situações — e outras — podem ser exemplos de como o efeito Dunning-Kruger funciona.

Neste artigo falaremos um pouco mais sobre esse conceito, quais as suas principais causas e como podemos evitá-lo.

O que é o efeito Dunning-Kruger?

O efeito Dunning-Kruger é um viés cognitivo — descrito pelos pesquisadores David Dunning e Justin Kruger — que influencia o comportamento das pessoas, fazendo com que elas acreditem que sabem mais do que realmente sabem ou que são mais competentes do que realmente são.

É provável que todo mundo já tenha passado por uma situação em que conheceu alguém que superestimava suas próprias habilidades e conhecimentos. Seja uma pessoa no trabalho, amigo, amiga, ou até mesmo um parente próximo.

A verdade é que qualquer pessoa está sujeita à influência do efeito Dunning-Kruger, e vale ressaltar que esse efeito não é sinônimo de baixa inteligência ou QI, como pode ser associado.

Pessoas especialistas em determinada área tendem a achar que sua capacidade se extende para outras áreas fora da sua especialidade. Por exemplo, uma pessoa especialista em biologia pode acreditar ser especialista também em design, sem estudar ou estudando muito pouco.

Mesmo com diversas evidências da falta de competência, seja por feedbacks diretos ou resultados das suas ações, as pessoas sob o efeito Dunning-Kruger não conseguem olhar para si mesmas e perceber sua própria falta de capacidade.

A autoconfiança exagerada, a falta de reconhecimento dos próprios erros e não dar ouvidos para críticas e feedbacks geralmente são algumas das manifestações do efeito Dunning-Kruger.

Dica de Leitura: Viés Cognitivo – Como Ser Imparcial Em Seus Projetos de UX?

Quais são as causas do efeito?

Quais as causas do efeito dunning-kruger

Como dito, qualquer pessoa pode ser influenciada pelo efeito Dunning-Kruger, não sendo uma situação exclusiva de certos grupos.

Sendo assim, como que o efeito acontece nas pessoas? Por quais motivos ele se manifesta?

De forma geral, o efeito acontece por conta da falta de autoconsciência ou autoavaliação das pessoas. Ou seja, quem está sofrendo do efeito Dunning-Kruger não consegue refletir sobre si mesmo e sobre suas próprias habilidades e competências.

Nesse sentido, podemos apontar algumas situações que contribuem para a manifestação do efeito nas pessoas:

Double Burden

David Dunning propôs o conceito de "duplo fardo" — Double Burden, em inglês — que está associado com o pouco conhecimento ou habilidade de uma pessoa em determinada área.

Uma vez que há pouco conhecimento, a pessoa não performa bem naquele trabalho. Consequentemente, ela não consegue identificar que está tendo maus resultados, porque lhe falta conhecimento para isso.

Ou seja, o duplo fardo é um ciclo no qual não ter conhecimento e habilidade te impede de reconhecer a falta desse conhecimento e habilidade.

Falta de metacognição

A metacognição está relacionada à consciência da cognição e o seu automonitoramento. Ou seja, como nós enxergamos e criticamos nossa maneira de pensar e de aprender.

Ter consciência de como pensamos e aprendemos facilita o processo de autoavaliação e podemos, com mais facilidade, entender nossas falhas, erros e oportunidades de melhoria.

Nesse sentido, as pessoas que estão sob o efeito Dunning-Kruger geralmente possuem uma falta de metacognição. Elas não têm a capacidade de avaliar seu próprio conhecimento e aprendizado, fazendo com que não consigam identificar a falta de habilidade ou expertise em determinados assuntos.

Superconfiança

A superconfiança também está relacionada com a manifestação do efeito.

Nesse contexto, a superconfiança é um comportamento resultante de pessoas que possuem uma pequena quantidade de conhecimento sobre certo assunto; e com isso acreditam ser especialistas nesse tema.

Fazendo uma analogia, são como as pessoas que lêem a contracapa — ou a orelha — de um livro e dizem que entenderam o livro por inteiro. Ou como as pessoas que lêem apenas o título de uma notícia e acreditam saber tudo sobre a matéria.

O perigo do efeito Dunning-Kruger é exatamente esse, fazer com que pessoas com muito pouco conhecimento sobre algo, se considerem especialistas e não consigam enxergar sua falta de habilidade, gerando maus resultados e podendo até mesmo prejudicar um projeto importante.

Dica de Leitura: The Great Resignation – Por Que Profissionais Estão Se Demitindo?

Por que o efeito Dunning-Kruger é importante?

Na verdade, o efeito não é algo bom para as pessoas que sofrem dele, como a gente observou até agora.

No entanto, saber sobre a existência do efeito Dunning-Kruger é muito importante para a nossa relação com nós mesmos e com o mundo à nossa volta.

Entender o que é o efeito e como ele se manifesta pode fazer com que a gente comece a construir uma autocrítica sobre nossos conhecimentos e aprendizados.

Nesse sentido, saber sobre o efeito nos ajuda a compreender que:

  • a visão que temos sobre nós mesmos nem sempre reflete a realidade;
  • é arriscado tomar decisões baseadas apenas em nossa experiência pessoal, principalmente em áreas que não são nossa especialidade;
  • nem sempre as pessoas mais confiantes são as que possuem mais conhecimento;
  • ninguém é capaz de saber tudo sobre tudo. Existem níveis de conhecimento e é importante entender em quais desses níveis nós estamos.

Os impactos individuais e na sociedade

Os impactos do efeito

Os impactos do efeito Dunning-Kruger podem trazer consequências tanto para indivíduos de maneira isolada, quanto para toda uma sociedade.

No nível individual, o efeito faz com que as pessoas tomem decisões erradas ou precipitadas sobre determinado tema profissional ou, até mesmo, pessoal.

Numa situação hipotética, imagine que uma pessoa queira mudar de carreira para UX Design, leu apenas alguns artigos superficiais na internet e já se sente pronta para tentar uma vaga na área. Antes de ter qualquer proposta, essa pessoa pede demissão do atual emprego para focar nos processos seletivos.

Claramente, essa pessoa tomou uma má decisão baseada na superestimação de seus conhecimentos sobre UX Design. O que vai acontecer, provavelmente, é que ela não vai conseguir efetuar a mudança de carreira e, para piorar, pediu demissão do emprego antigo. Ficou totalmente desamparada.

Ainda, há casos em que as consequências individuais podem escalar para o nível do negócio.

Numa outra situação hipotética, imagine que um diretor da empresa acredita que tenha mais conhecimento técnico do que o time de desenvolvedores, UX ou UI designers. Por conta disso, o tal diretor interfere incisivamente nas decisões de um projeto de um novo produto, sem tomar como base pesquisas ou feedbacks de especialistas.

Por achar que ele sabe o suficiente sobre UX Design, o diretor não somente toma uma decisão que vai prejudicar o projeto, mas que provavelmente vai impactar os negócios e o resultado da empresa.

Além disso, pessoas sob o efeito Dunning-Kruger podem vivenciar momentos de frustração e desapontamento com mais frequência. Por exemplo, esperar por uma promoção ou reconhecimento e não receber nem um ou outro.

Disseminação de informações falsas

Disseminação de informações falsas - Efeito Dunning-Kruger

Saindo do nível individual e contemplando uma esfera mais abrangente e delicada, vamos discutir um pouco sobre os impactos do efeito Dunning-Kruger na sociedade.

Comentamos que as pessoas que estão sob esse efeito tendem a ser super confiantes, mesmo tendo um conhecimento superficial sobre algum tema.

Justamente por terem super confiança, as pessoas sob o efeito Dunning-Kruger tendem a ter mais coragem para falar sobre suas convicções — mesmo que erradas — para outras pessoas.

Essa atitude acaba resultando numa disseminação de desinformações.

Num mundo onde compartilhar informações para o mundo todo é simples, o efeito Dunning-Kruger pode ter impactos muito profundos e preocupantes na sociedade.

Não é raro ver desinformações de diversos tipos, como sobre:

  • saúde e vacinas;
  • astronomia;
  • política.

Aqui, não estou entrando no detalhe de se a desinformação é criada de forma proposital. Mas a questão é que o efeito Dunning-Kruger tem uma parcela de contribuição na construção de informações falsas — ou sem embasamento sustentável — ou de, até mesmo, teorias da conspiração.

É claro que o Dunning-Kruger não é o único responsável por essa onda de desinformação que vemos no mundo, mas ele dá sua contribuição para que pessoas pouco qualificadas e com muita confiança subam no palco e discursem para um público que, eventualmente, poderá tomar suas palavras como verdades absolutas.

Dica de Leitura: Redes Sociais – Precisamos Falar Sobre Nossa Saúde Mental

Como evitar o efeito Dunning-Kruger?

O simples fato de saber da existência do efeito Dunning-Kruger já colabora para que ele seja evitado. Afinal de contas, ninguém quer ter a falsa impressão de possuir um conhecimento que não tem.

Ainda assim, é importante ter em mente algumas práticas que podem ajudar a anular esse efeito, fazendo com que a gente reconheça nossas habilidades, falhas e real nível de conhecimento.

  • Olhe para o lado: no caso do efeito Dunning-Kruger pode ser positivo efetuar pequenas comparações com as pessoas ao seu redor. Observar a performance e as habilidades das outras pessoas pode fazer com que você melhore a consciência sobre seus próprios conhecimentos. Mas lembre-se, ficar se comparando demais pode acarretar outros tipos de problemas. Portanto, faça isso com cautela;
  • Continue aprendendo e praticando: ao invés de se dar por satisfeito com seus conhecimentos, continue aprendendo e estudando. Conforme você for adquirindo mais aprendizados, você vai entender o quanto de conhecimento você tem e o quanto ainda falta para aprender;
  • Peça feedbacks: peça feedbacks e esteja com a cabeça aberta para ouvir críticas construtivas e entender como você pode melhorar. Ouvir feedbacks nem sempre é algo fácil, mas de fato pode ser muito importante para nosso desenvolvimento;
  • Pense antes de tomar decisões: a confiança para se tomar decisões rápidas pode ser uma manifestação do efeito Dunning-Kruger. Antes de tomar qualquer decisão importante, pare e avalie os riscos. Dessa forma você entende se os seus conhecimentos são suficientes para que a decisão seja tomada da melhor forma possível;
  • Desafie suas próprias crenças: nós crescemos com pensamentos e crenças que tomamos como verdade desde sempre. Em algum momento faz sentido questionar aquilo que acreditamos, ouvir outras perspectivas e procurar novos pontos de vista;
  • Cuidado com viés de confirmação: o viés de confirmação faz com que as pessoas busquem e consumam informações que concordem com suas ideias e crenças. Dessa forma, as pessoas não ficam abertas para buscar e ouvir opiniões que discordem das suas.

Existe o outro lado do efeito Dunning-Kruger?

O outro lado do Efeito Dunning-Kruger

O estudo conduzido por Dunning e Kruger identificou que as pessoas com menos capacidade geralmente superestimavam suas habilidades e conhecimentos.

Um ponto interessante também encontrado no estudo — mas que não foi o centro das discussões — foi que as pessoas mais capacitadas podem ter uma visão contrária das suas habilidades, subestimando os próprios conhecimentos.

Como visto, quanto mais conhecimento sobre determinado assunto, mais temos consciência do nosso nível de aprendizado. Ou seja, é até normal que quanto mais sabemos sobre um assunto, mais propensos a acreditar que ainda há mais a aprender sobre ele.

No entanto, nessas situações existe um uma linha que, se ultrapassada pode acabar gerando a Síndrome do Impostor.

A Síndrome do Impostor, ao contrário do efeito Dunning-Kruger, não é um viés cognitivo, mas um transtorno psicológico que faz com que as pessoas não consigam enxergar as suas próprias capacidades e acreditem constantemente que são uma fraude.

Para entender mais sobre a Síndrome do Impostor, leia o nosso artigo sobre o assunto:

No entanto, vale ressaltar que a Síndrome do Impostor não é necessariamente o oposto do efeito Dunning-Kruger. O estudo identificou os dois lados, a superestima das pessoas menos competentes e a subestima das pessoas mais competentes.

A Síndrome do Impostor acontece por fatores mais profundos e que são mais complexos de identificar e justificar do que somente "alto conhecimento e habilidades".

Portanto, é importante ter cuidado com esses dois extremos e tentar manter a nossa autoconsciência e autoavaliação em linha com o nosso nível real de conhecimento e habilidade.

É algo que pode ser muito desafiador, mas vale a pena trabalhar a nossa percepção de conhecimento para ficarmos afastados de vieses cognitivos como o Dunning-Kruger.

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!


Cursos

Nosso maior orgulho é todo mês ter pessoas da comunidade contratadas em grandes empresas, em países como
Brasil, EUA, UK, Irlanda, Alemanha, Holanda, Espanha, Portugal, Áustria, Rep. Tcheca, Nova Zelândia e Canadá.