Carreira
Carreira em UX Design: Insights do UX Careers Report, da NN/g
Lista de conteúdos
Carreira

Carreira em UX Design: Insights do UX Careers Report, da NN/g

Carreira em UX Design: Insights do UX Careers Report, da NN/g

Mudar sempre dá um fio na barriga. Ainda mais quando falamos sobre carreira e vida profissional.

Uma maneira de encarar essa ansiedade é criar um planejamento e pesquisar mais sobre a carreira para a qual você deseja migrar.

Dessa forma, quando falamos em carreira em UX Design, devemos sempre levar em consideração os conteúdos criados pela Nielsen Norman Group, referência no assunto.

E claro, eles não poderiam deixar de ter informações sobre a carreira em UX Design, as quais podem te ajudar a clarear as ideias sobre a profissão e o que esperar dela.

Preparado para saber sobre a carreira em UX? Vamos lá!

User Experience Careers: relatório sobre carreira em UX da NN/g

User Experience Careers: relatório sobre carreira em UX da NN/g
Capa do Relatório UX Careers

A base para a escrita deste artigo é o relatório construído pela Nielsen Norman Group: User Experience Careers – What a Career In UX Looks Like Today.

Esse relatório é uma atualização de um anterior, sobre o qual também temos artigos que detalham todos as suas descobertas e insights.

Esta atualização foi feita com base em uma pesquisa realizada em 2019.

Portanto, se você quiser ter mais informações sobre carreira e sobre o relatório anterior da NN/g, confira esses dois outros artigos:

Depois dessa breve explicação, vamos mostrar quais foram os principais resultados presentes neste relatório atualizado.

Muitos nomes para os mesmos cargos

Uma das primeiras descobertas sobre carreira em UX do relatório é a existência de diversos nomes para os cargos em UX Design.

Os entrevistados responderam na pesquisa qual era o nome do cargo que exerciam, e o resultado foram 134 nomes diferentes relacionados a UX.

Os motivos do grande número de títulos diferentes podem ser vários, mas duas razões principais foram identificadas:

  • os entrevistados possuem mais de uma função de UX descrita no título do cargo. Por exemplo: UX Researcher & Designer;
  • ou os entrevistados possuem funções tradicionalmente não relacionadas a UX Design, mas exerciam atividades de UX. Isso, provavelmente, porque a empresa onde trabalham não deveria ter uma área de UX definida ou montada.

Agrupando os nomes

Apesar disso, a NN/g conseguiu agrupar os diversos títulos e cargos em 6 grandes grupos — entre parênteses o percentual dos respondentes que entraram na categoria:

  • Designer (48%);
  • UX Manager, lead ou diretor (15%);
  • UX Não especialista — cujos cargos possuem mais de um título (12%);
  • Researcher (12%);
  • Especialistas de conteúdo (1%);
  • Outros — qualquer outro cargo que não se encaixa nas categorias acima (11%).

O fato de haver muitos títulos, os quais muitas vezes se referem ao mesmo cargo, é prejudicial para a carreira em UX. Porque causa confusão para os novos profissionais ou quem está migrando, para os que estão procurando emprego e para aqueles que estão contratando.

Dica de Leitura: Quais as Possibilidades de Atuação em UX Design?

As responsabilidades são as mesmas?

Observamos que existem diversos nomes para os mesmo cargos e que, dessa forma, conseguimos agrupá-los em grandes categorias.

Mas, apesar disso, será que as responsabilidades estão bem definidas? Ou será que um UX Designer também faz o trabalho de um UX Researcher e vice-versa?

O que o relatório apontou é que existem responsabilidades que são comuns entre os cargos e, especialmente, que o cargo de UX Researcher costuma ter “menos responsabilidades” do que os outros cargos.

Carreira em UX: responsabilidades
Percentual dos respondentes que tem responsabilidades de UX Design

Enquanto o UX Designer efetua também o trabalho de UX Research, o contrário não se mostrou verdadeiro.

Mas isso quer dizer que o cargo de UX Research é menos valorizado?

Não necessariamente. A questão é que as empresas ainda estão se adaptando para a realidade do UX Design, apesar de ser um mercado em expansão.

Dessa forma, empresas mais maduras em UX possuem cargos e responsabilidades bem definidos, enquanto que empresas menos maduras não. Nessa segunda opção, geralmente, as equipes de UX são enxutas e as duas responsabilidades, tanto UX Design como UX Research, acabam caindo para um mesmo profissional.

Dica de Leitura: Como Identificar a Maturidade em UX Design das Empresas?

Aonde que a carreira em UX te permite trabalhar?

Em um primeiro momento, podemos pensar que a carreira em UX nos leva apenas a trabalhar em empresas de software, aplicativos e sites.

Mas a verdade é que, com o mercado de UX em expansão e as empresas entendendo a importância do UX para o negócio, o leque de oportunidades vem crescendo cada vez mais.

Os respondentes da pesquisa trabalham em diversas áreas além das relacionadas diretamente com softwares e aplicativos.

Claro que esse mercado aparece em primeiro lugar, mas apenas 28% dos pesquisados diz trabalhar nesse tipo de empresa.

Logo na sequência, aparecem empresas Financeiras, como Bancos e Seguradoras, Consultorias e Educadoras.

Aonde que a carreira em UX te permite trabalhar?
Em quais indústrias o UX Designer trabalhar?

Se comparado com a pesquisa feita em 2013 — na primeira edição do relatório — percebemos que as top indústrias não mudaram. Ou seja, a tendência é que a contratação de profissionais de UX seja mais forte nesses mercados.

Quais as atividades do profissional de UX Design?

A pesquisa se preocupou em perguntar para os respondentes quais eram as atividades que eles exerciam em seu dia a dia. A questão era entender quais eram as atividades mais comuns praticadas em UX Design, bem como entender se há diferenças entre os cargos.

Dessa forma, os respondentes receberam uma lista com 20 atividades e marcaram quais eles fazem com frequência ou não.

Quais as atividades do profissional de UX Design?
Atividades exercidas pelos profissionais de UX

Como resultado, observamos que é comum para a maioria dos profissionais com carreira em UX atividades como:

É importante ressaltar também que as atividades menos comuns são as de estudos visuais e estudo diários, dois tipos de métodos de pesquisas.

Infelizmente, apesar da sua importância, esses métodos não acontecem e a maioria dos profissionais diz nunca ter conduzido esse tipo de pesquisa.

Dica de Leitura: Entrevista com Usuários em UX Design – Saiba Como Preparar e Conduzir

As diferenças de atividade entre Designers e Researchers

Como aprofundamento na análise das atividades, o relatório separou as atividades dos UX Designers e dos UX Researchers. Dessa forma, podemos entender as diferenças entre esses dois cargos.

As diferenças de atividade entre Designers e Researchers
Atividades que os Designers executam e as atividades que os Researchers executam

atividades em comum entre os Designers e Researchers, como:

  • Colaborar com especialistas de outras áreas;
  • Definição de personas;
  • Revisão de Heurísticas.

Mas, apesar disso, observamos uma forte distinção entre essas duas atuações em UX Design.

Enquanto os Designers atuam mais com atividades de prototipagem, design visual e conteúdo, os Researchers estão encarregados de atividades como pesquisa e testes com os usuários.

Portanto, são duas áreas de atuação complementares. Uma equipe composta por esses dois profissionais estará mais adequada e mais preparada para trabalhar em seus projetos.

A educação para uma carreira em UX Design

Talvez a questão da educação ainda seja uma das maiores preocupações para aqueles que desejam seguir ou migrar para uma carreira em UX Design.

Afinal de contas, qual a educação necessária para se tornar um profissional em UX?

Educação formal

A pesquisa mostrou que 82% dos entrevistados possuem algum tipo de graduação e 31% estudam ou já possuem pós-graduação ou MBA.

A educação para uma carreira em UX Design
Percentual dos respondentes que possuem graduação

Indo um pouco mais a fundo, a pesquisa mostrou algumas tendências entre a graduação e o cargo o qual os respondentes ocupavam.

Como tendência, os UX Designers possuem graduação em áreas relacionadas ao Design, como Design Gráfico, Design Industrial e Visual Design.

Em contrapartida, os UX Researchers são, geralmente, formados em cursos como Psicologia, Sociologia e Antropologia.

Por último, os especialistas em conteúdo possuem graduação em cursos como Letras, Jornalismo e Comunicação.

Dessa forma, podemos observar que há certa tendência na correlação entre os cargos em UX e os cursos de graduação.

Contudo, é importante ressaltar que as tendências observadas não são uma restrição. Porque não é preciso um background em Design para migrar para uma carreira em UX Design.

Dica de Leitura: Como Aproveitar meu Background e Migrar para UX Design?

Uma graduação relacionada a UX é garantia de sucesso?

Não há como negar que as graduações relacionadas podem ajudar a carreira em UX, mas isso é apenas no começo.

É claro que os profissionais formados em Design Gráfico ou em Sociologia, por exemplo, terão habilidades técnicas em desenho e em pesquisa que profissionais de outras áreas não tem. Contudo, a graduação relacionada a UX não é um limitante ou um indicativo de uma carreira de sucesso.

Apesar dos respondentes concordarem que um background relacionado tem sua utilidade, há o consenso de que não é preciso um background na área para se dar bem em UX Design.

“Não se preocupe tanto com o seu background. Eu conheci profissionais de UX que vieram de diferentes áreas, de finanças à antropologia. Você NÃO precisa de uma graduação específica para entrar na carreira em UX Design.” – comentário de um respondente

Além da graduação, aonde estudar UX Design?

De acordo com a pesquisa, 35% dos entrevistados disseram que fizeram algum curso de graduação relacionado à UX Design.

O restante, ou seja 65%, não possuíam graduação relacionada à UX, então como eles adquiriram os conhecimentos básicos sobre o assunto?

Além da graduação, aonde estudar UX Design?
Fontes de estudo para os profissionais de UX sem graduação

Assim, podemos observar que a maioria dos respondentes que não possuíam graduação relacionada à UX obtiveram conhecimentos por meio de cursos online.

Este meio de educação está se tornando bastante popular e cada vez mais o número de cursos online cresce.

Uma parte dos respondentes — 21% — disse, ainda, que aprenderam UX Design lendo livros, artigos e consumindo diversos conteúdos sobre o tema, sem necessariamente se inscrever em algum curso.

Dica de Leitura: Conheça o nosso Bootcamp Master Interface Design e Migre para UX!

Migrando para uma carreira em UX Design

O mercado de UX está crescendo e isso quer dizer que é possível para qualquer pessoa interessada, efetuar a mudança de carreira para UX Design.

Muitos dos respondentes da pesquisa disseram que nunca haviam pensado em trabalhar ou ter uma carreira em UX Design. Mas acabaram por conhecer a profissão por indicação de algum colega ou perceberam que estavam trabalhando com esse tipo de atividade naturalmente e a migração foi algo automático.

Por conta desses “acidentes de percurso”, onde os profissionais atuantes em UX não planejaram essa carreira, é fato que qualquer pessoa pode começar uma carreira em UX, se assim o desejar.

A carreira em UX não requer um background específico

Este é um assunto, inclusive, bastante abordado por nós.

Migrar para UX Design não requer um background em Design ou em qualquer outra área específica.

Além disso, diferentes backgrounds trazem diferentes habilidades que são importantes e relevantes para uma carreira em UX.

A pesquisa também ressaltou essa questão. Muitos dos pesquisados reafirmam essa máxima:

“Meu curso de psicologia social trata sobre como as pessoas influenciam umas as outras e isso foi de bastante utilidade em UX Design para aprender como as pessoas responde a certos estímulos”

“Eu prefiro trazer alguém que não possui uma graduação em design mas que seja brilhante, comprometido e com boas atitudes do que trazer alguém que somente estudou em uma boa escola.”

No nosso blog há um artigo exclusivo somente tratando sobre esse tema. Lá você pode conhecer exemplos reais dos nossos alunos e, dessa forma, começar a quebrar esse bloqueio da necessidade de um background específico. Confira:

Migrar pode ser difícil mas vale a pena

A maioria dos pesquisados respondeu dizendo que estavam bastante satisfeitos e felizes com a carreira em UX Design.

Entretanto, o caminho para migrar pode ser difícil, principalmente emocional e psicologicamente. Alguns respondentes disseram ter passado por momentos de estresse, insegurança e ansiedade. Mas esse sentimento logo foi contraposto pela satisfação com a nova carreira.

Portanto, migrar para UX Design é um movimento que vale a pena, mas é preciso ser feito com cautela.

Se você quiser saber mais sobre como migrar para UX, talvez este nosso artigo lhe interesse:

Habilidades necessárias em UX Design

Além de tudo, o relatório aponta quais as habilidades mais frequentes entre os profissionais de UX entrevistados.

Os respondentes ainda assinalaram quais as habilidades que gostariam de ter e quais aquelas que consideravam não necessárias.

Habilidades necessárias em UX Design
Quais as habilidades mais comuns entre os profissionais de UX Design?

As habilidades mais comuns na carreira em UX, dessa forma, são:

  • Prototipagem;
  • Habilidade com pesquisas;
  • Gerenciamento de projetos.

Habilidades dos Designers vs habilidade dos Researchers

Mais uma vez, ao longo do relatório, há a comparação entre os cargos de UX Designers e os de UX Researchers. Dessa vez, o objetivo foi comparar as habilidades que cada grupo possui ou não.

Os UX Designers demonstraram que, além de habilidades em prototipagem, possuem bastante habilidade com pesquisa também. O que faz sentido porque muitos deles já disseram que possuem atividades de pesquisa no trabalho.

Ao contrário, os UX Resarchers possuem menos habilidades com prototipagem e visual design.

Habilidades de programação foram baixas para ambos os cargos.

Habilidades em carreira em UX
Habilidades dos Designers
Habilidade dos Researchers

Habilidades importantes na carreira em UX Design

Os respondentes foram questionados sobre quais habilidades que eles consideram importantes para se ter uma carreira em UX Design.

Apesar das habilidades técnicas serem relevantes, a maioria dos entrevistados pontuou habilidades comportamentais – Soft Skills.

Soft skills em UX Design
Soft Skills foram as habilidades mais mencionadas

Mais de 50% das respostas foram dedicadas às habilidades comportamentais, das quais as mais comuns foram:

  • Comunicação;
  • Empatia;
  • Habilidade para ouvir.

Quando falamos em UX Design e sobre os conceitos de Design Centrado no Usuário, faz bastante sentido que Soft Skills sejam tão ou mais importantes quanto as Hard Skills.

Afinal, o trabalho tem como base o comportamento e as necessidades de pessoas. É tudo sobre as pessoas.

Como adquirir Soft Skills?

Os entrevistados responderam que algumas Soft Skills importantes para a carreira em UX Design foram desenvolvidas a partir de backgrounds e experiências diferentes que tiveram.

Tais comentários só reforçam a questão de que não é preciso background relacionado para migrar para UX Design. E, além disso, um background diferente pode ser bastante útil na profissão e na carreira em UX.

Dica de Leitura: 11 Medos Que Te Impedem de Migrar para UX Design

Os profissionais estão satisfeitos com a carreira em UX Design?

Ao longo do relatório já podemos identificar que os respondentes davam indícios de que estavam bastante satisfeitos com a sua carreira em UX Design.

Contudo, há uma parte exclusiva, na pesquisa, que trata sobre o assunto.

A parte interessante, porém não surpreendente, é que a maioria dos entrevistados realmente se sente satisfeita com sua carreira.

Os profissionais estão satisfeitos com a carreira em UX Design?
Os respondentes estão bastante satisfeitos com a sua carreira em UX Design

Os motivos para a satisfação com a carreira em UX foram:

  • Amor pelo trabalho e pelos processos;
  • Ver o impacto do seu trabalho;
  • Receber reconhecimento pelo trabalho;
  • Boas oportunidades de crescimento.

Em contrapartida, os motivos para os profissionais não estarem satisfeitos com usas carreiras em UX foram:

  • Empresas que não possuem oportunidade de crescimento;
  • Não ter oportunidades por falta de experiência;
  • Não estão fazendo exatamente trabalho de UX, por conta das empresas ainda não entenderem o papel dessa profissão;
  • Falta de acesso a treinamentos e mentorias;
  • Síndrome do Burnout;
  • Trabalhar em empresas imaturas em UX Design.

O que recrutadores procuram ao contratar profissionais em UX?

Uma parte dos respondentes da pesquisa são gerentes responsáveis, entre outras coisas, pela contratação de novos profissionais para as suas equipes.

Dessa forma, a pesquisa os questionou sobre o que eles procuram nos candidatos.

A maioria das respostas mencionava a necessidade de Soft Skills.

As Soft Skills listadas foram:

  • Curiosidade e sede de aprendizado;
  • Inteligência emocional;
  • Boa comunicação;
  • Confiança, paixão e empatia;
  • Bom ouvinte;
  • Humildade;
  • Criatividade;
  • Trabalho em equipe.

Portanto, o desenvolvimento das habilidades comportamentais é bastante importante. Na verdade, essas habilidades são bastante observadas nas entrevistas inclusive de profissionais iniciantes e juniores.

Os recrutadores disseram procurar por pessoas interessadas e com potencial de desenvolvimento, mais do que pessoas com grandes habilidades técnicas.

“Quando vou contratar algum iniciantes, estou mais interessado em quão curiosa a pessoa é, o quanto ela está interessada em aprender, se ela está aberta para novas experiências. Procura esse tipo de brilho nos olhos.” – comentário de um recrutador respondente

Claro que, além de buscar as Soft Skills necessárias, os recrutadores também aplicam testes de design para entender o nível técnico do profissional.

Portfólios em UX Design

A maioria dos respondentes recrutadores disseram que um bom portfólio em UX é um elemento chave nos seus processos de contratação.

Apesar dos elementos que cada recrutador procura nos portfólios sejam variados, o que a maioria procura é a demonstração do raciocínio do candidato.

Dessa forma, um bom portfólio de UX Design não deve ser composto apenas de telas e elementos visuais agradáveis. É preciso saber contar a sua história e o seu jeito de pensar, por meio do seu portfólio.

Portanto, um portfólio pode conter também exercícios e trabalhos fictícios, com o intuito de demonstrar a sua linha de pensamento.

Para mais dicas sobre como montar o seu portfólio, acesse esses nosso artigos:

Neste artigo abordamos os principais insights do relatório sobre carreira em UX da Nielsen Norman Group. Caso você queira acessar o relatório na íntegra, é só clicar aqui.

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!


Cursos

Temos orgulho de ter todo mês novos alunos contratados em países como Brasil, Irlanda, Portugal, Áustria, Nova Zelândia e Canadá.