Arte
A Arte Grega e 2 Mil Anos de História
Baixar em PDF
Lista de conteúdos
Arte

A Arte Grega e 2 Mil Anos de História

A Arte Grega e 2 Mil Anos de História cover

A arte grega influenciou diversos movimentos artísticos muitos séculos depois do seu surgimento. O Renascentismo é um bom exemplo.

A Grécia possui uma história densa e incrível, com ideias que marcaram o mundo em diversas áreas do conhecimento, política, social, matemática, filosofia e claro, artes e cultura.

São mais de 2 mil anos de história da Grécia, antes do território ser conquistado pelos Romanos. Portanto, há muita coisa para ser contada sobre as artes que surgiram durante esse tempo.

Nesse sentido, fica mais fácil falar sobre a arte grega de acordo com os períodos históricos da história da Grécia.

Vamos lá?

A história da Grécia e da arte grega

A história da Grécia Antiga estende-se de 2000 a.C até 136 a.C. Ou seja, são quase 2000 anos de história.

Portanto, não é possível ter uma única definição para a arte grega, uma vez que o povo foi evoluindo durante esse período e a arte também.

Historiadores geralmente dividem a história Grega em 5 períodos. Cada período possui suas particularidades no âmbito artístico. São eles:

  • Pré-Homérico (2000-1100 a.C.);
  • Homérico (1100-800 a.C.);
  • Arcaico (800-500 a.C.);
  • Clássico (500-338 a.C.);
  • Helenístico (338-136 a.C.).

Vamos passar por cada um desses períodos, explicando brevemente o contexto histórico deles e mostrando como eram as suas manifestações artísticas.

Período Pré-Homérico

O Período Pré-Homérico está relacionado ao surgimento do povo grego, com destaque para duas civilizações: cretense e micênica.

Os cretenses surgiram na atual região da Turquia e foram migrando para as ilhas do Mar Egeu, principalmente para a ilha de Creta.

A vida dos cretenses contemplava a agricultura, pecuária e o comércio, responsáveis por sua expansão por toda Ásia Menor.

O povo cretense existiu até cerca de 1400a.C. e foi substituída pelos micênicos. A queda da civilização cretense, acredita-se, aconteceu por conta da alta exploração do solo somada aos desastres naturais que aconteciam na ilha.

Os micênicos assimilaram a cultura dos cretenses e isso influenciou bastante na formação da cultura grega. Por exemplo, os micênicos já se organizavam em cidades-estado e mantiveram fortes relações comerciais com outros povos e regiões.

A civilização micência decaiu por a partir de 1200 a.C por conta da invasão dórica. A partir desse evento, iniciou-se o Período Homérico

A arte micênica

Os micênicos possuíam grandes arquiteturas e projetos em alvenaria. Eles também trabalhavam com ouro e óleo.

Além disso, eles transformaram a forma como utilizavam a cerâmica, dando um apelo mais estético e decorativo, e não apenas funcional.

Apesar da queda da civilização micênica por volta de 1200 a.C, a sua cultura permaneceu presente até a invasão de Tróia, pelos Gregos. A partir daí, a cultura micênica foi diminuindo até se extinguir.

Período Homérico

A destruição da civilização micênica pelos dórios fez com que a civilização passasse por um recuo. As grandes cidades micênicas foram reduzidas a pequenos vilarejos e grandes palácios foram destruídos.

O Período Homérico é um pouco obscuro. Historiadores pouco sabem sobre essa parte da História Grega.

O que se sabe é que foi nesse período que surgiram os genos, pequenas comunidades agrícolas patriarcais, baseadas na solidariedade e coletividade. Com o passar do tempo, houve a formação de uma aristocracia, e demais genos se uniram e formaram fratarias.

Essas uniões trouxeram instabilidade e desigualdade. Conforme esse tipo de organização foi perdendo o controle, começaram a surgir as cidade-estado. Esse processo também fortaleceu o comércio e promoveu mudanças sociais e políticas.

Arte Geométrica

Com o surgimento das cidade-estado, começou também o período geométrico da arte grega.

A cerâmica já não era apenas utilizada de forma funcional, possuindo um apelo estético e decorativo. Então, no período geométrico da arte grega, a decoração na cerâmica passou a contemplar também animais e seres humanos, no entanto, usando formas geométricas simples.

Arte Grega: Arte Geométrica em Vaso Grego
Arte geométrica em vaso | Fonte: Wikimedia Commons

Dica de Leitura: Caravaggio – Luz, Sombras, Rebeldia e Fotografia

Período Arcaico

O modelo grego de cidade-estado se consolidou no período arcaico. As pólis, como eram chamadas, ocuparam todo o território grego e sua principal característica era a autonomia.

Cada pólis tinha sua autonomia jurídica, política, religiosa e etc. Isso fazia com que a Grécia não tivesse exatamente um território, como império, ou fronteiras claramente definidas.

Algumas pólis se destacaram tanto que são lembradas até hoje, como Atenas, Esparta, Tebas e Corinto.

O desenvolvimento das pólis, por outro lado, também influenciou o processo de concentração de renda. Ou seja, as pessoas mais pobres estavam cada vez com menos acesso à terra e mais endividadas, podendo ser escravizadas caso não pagassem suas dívidas.

Esse problema social incentivou que parte da população procurasse novas oportunidades em outras regiões, fora do território grego, aproveitando-se das embarcações gregas que faziam comércio em diferentes locais.

Dessa forma, muitos gregos se estabeleceram em outras localidades como Norte da África, Sul da Espanha, França, etc. Esses grupos foram responsáveis por formar pólis em regiões além do território grego e, por isso, esse processo ficou conhecido como colonização grega.

Essas colônias incorporaram outras características de cada região na qual se fixavam e isso, claro, contribuiu para o desenvolvimento de diversos aspectos da sociedade, incluindo a cultura e as artes.

A arte grega do período arcaico

Cerâmica: No meio do período arcaico, a arte grega começou a sofrer uma influência do lado mais asiático do mundo, por conta da expansão do comércio.

Novos idiomas e novas culturas influenciaram a arte grega, apresentando desenhos curvilíneos de criaturas que misturavam animais com humanos, como a esfinge.

Nesse período, a decoração em cerâmica se tornou cada vez mais figurativa. Os artistas começaram a incluir mais animais e humanos em sua arte e cultura.

Arte Grega Arte Cerâmica Período Arcaico
Jarra de água — Hydria (c. 520 – 510 a.C.) | Fonte: arteref

Escultura: as esculturas gregas do período arcaico eram criadas em pedra, bronze ou terracota e tinham muita influência da cultura egípcia.

As artes mais comuns faziam referência a homens e mulheres (kouros e kore).

Arte Grega Escultura Período Arcaico
Kleobis e Biton (c. 610 – 580 a.C.) | Fonte: arteref

Pintura: a pintura estava bastante presente na decoração de vasos e de esculturas, no período arcaico da arte grega. Portanto, o crescimento dessa categoria artística foi natural.

Além das pinturas em cerâmica, os gregos pintavam paredes, prédios e tumbas.

No período arcaico não há muitas pinturas em painéis. As únicas referências que existem são os painéis de Pitsa. Nesse sentido, quando falamos sobre pintura da arte grega arcaica, a melhor referência são as que encontramos nas cerâmicas.

Pintura do Período Arcaico Grécia
Um dos painéis Pitsa (c. 550 a.C.) | Fonte: arteref

Período Clássico

O Período Clássico é considerado o auge da civilização grega, inclusive por conta do desenvolvimento de suas artes e cultura.

Nesse período, o foco encontra-se em duas pólis: Atenas e Esparta.

Apesar de pertencerem ao mesmo território grego, como visto, cada pólis possuía uma grande autonomia. Nesse sentido, Atenas e Esparta eram muito diferentes entre si.

De maneira geral, Atenas desenvolveu seu sistema democrático — apesar desse modelo sempre acabar beneficiando a aristocracia — e Esparta era uma cidade baseada em guerreiros, com práticas escravagistas e oligárquicas.

Mesmo tendo suas grandes diferenças, Atenas e Esparta se uniram no período com o objetivo de derrotar a invasão persa.

A arte grega do período clássico

A arte grega clássica corresponde as manifestações artísticas que aconteceram no auge da civilização grega. Muitos consideram esse período como uma "Era de Ouro" da Grécia.

As principais características, em termos de arte, desse período são o realismo e as narrativas. Ou seja, a arte não representava apenas um objeto ou uma pessoa, mas também todo um contexto e cenário.

As pinturas continham agora muitos detalhes, a escultura também se desenvolveu e na arquitetura houve a construção do Partenon de Atenas.

Cerâmica: a arte grega da cerâmica sofreu um grande declínio durante o período clássico, mas os motivos para isso não são exatos.

Não havia mais inovações técnicas para essa arte. A última técnica desenvolvida foi o White Ground que utilizava tinta e douramento na argila branca.

Arte Grega: técnica white ground
Técnica White Ground | Fonte: arteref

Arquitetura: a arquitetura foi uma arte grega que se destacou durante o período clássico.

Os principais estilos da arquitetura grega foram o dórico e o iônico, e foram responsáveis por definir um padrão de beleza nos projetos arquitetônicos.

Não tem como falar sobre arquitetura grega sem mencionar o Partenon, o templo grego mais icônico do período, que homenageava a deusa Atena.

Apesar de ser um ícone da arquitetura, o Partenon compartilhava de diversas características comuns à arquitetura grega da época, como:

  • Colunas como sustentação de moldagens decorativas;
  • Telhado em formato triangular;
  • Frontão nos telhados, onde os escultures trabalhavam peças artísticas.
Arte grega: Partenon
Partenon | Fonte: arteref

Escultura: O período clássico foi muito interessante para a arte grega da escultura. Isso porque diversas técnicas foram aprimoradas e as peças artísticas se tornaram cada vez mais realistas.

Além disso, a utilização do bronze como matéria-prima para as esculturas se fortaleceu devido à sua capacidade de manter a forma. Outros materiais mais caros eram utilizados para obras específicas, como estátuas para cultos.

Escultura Grega do Período Clássico
Apollo Belvedere (c. 325 a.C.) | Fonte: arteref

Pintura: a pintura grega clássica representou um marco na história da arte, sendo superada apenas no período da Renascença.

No período clássico, as pinturas estavam em vasos, em painéis e em muros e tumbas.

Os artistas gregos tinham a natureza-morta, cenas figurativas e retratos como principais assuntos para suas artes.

Pintura Grega no Período Clássico
Grande Tumba em Verfina (c.326 a.C.) | Fonte: arteref

Período Helenístico

O Período Helenístico representa o declínio da civilização grega.

Após a guerra contra os Persas, Atenas viveu um período de supremacia, desenvolvendo-se bastante nas questões econômicas e culturais.

O crescimento de Atenas incomodava Esparta e, por isso, as duas cidades entraram em guerra. A Guerra do Peloponeso, como ficou conhecida, durou de 431 a.C até 404 a.C.

Os espartanos venceram os atenienses e se tornaram a grande cidade na Grécia. Mas seu domínio também não agradava a todos e a cidade de Tebas declarou guerra à Esparta em 371 a.C e os venceu.

Essa sucessão de guerras enfraqueceu bastante todo o território grego e os deixou suscetíveis a invasões de outros povos.

Em 338 a.C, Filipe da Macedônia conquistou o território grego e, dois anos depois, seu filho Alexandre tornou-se rei e expandiu seu império.

Após a morte de Alexandre, o império macedônico começou a entrar em declínio e os romanos — séculos mais tarde — conquistaram seu império e a Grécia.

Dica de Leitura: Renascentismo – O Ser Humano No Foco Das Artes

A arte grega Helenística

Com a conquista da Grécia pelos macedônios, houve a fusão e incorporação das duas culturas.

Esse novo momento da cultura e arte grega mudou a forma de expressão artística que havia na Grécia, principalmente no que diz respeito à arquitetura.

Arquitetura: com a divisão do território grego, cada parte sob um domínio diferente, a arquitetura passou a ter uma mescla cultural.

De maneira geral, as características do helenismo na arquitetura contemplam formas mais extravagantes, inspiradas pelas Ordens Iônicas e Coríntias.

Arquitetura do Período Helenístico
Torre dos ventos, em Atenas | Fonte: arteref

Escultura: as esculturas gregas do período helenístico deram seguimento ao que havia sido desenvolvido no período clássico.

O naturalismo se manteve como assunto da arte grega, mas os artistas começaram a retratar com mais assiduidade as emoções das pessoas.

O Gaulês Moribundo (c.230 – 220 a.C.) | Fonte: arteref

Pintura: assim como a escultura, a pintura se desenvolveu bastante no período helenístico da arte grega. Inclusive, suas técnicas e características foram ensinadas em diversas escolas do território.

Nesse período, os assuntos passaram a retratar animais, natureza-morta, paisagens, ao invés de mitologia e deuses.

Uma das maiores contribuições dos artistas gregos foi na pintura de retratos. Os retratos eram tão realistas que eram utilizados em tecidos fúnebres, cobrindo o rosto dos corpos mumificados.

Retrato de uma menina (século II a.C.) | Fonte: arteref

A influência da arte grega ao longo dos séculos

Mesmo antes da invasão e conquista do território grego por Roma, muitos artistas gregos já trabalhavam na Itália, por conta das boas remunerações.

Portanto, depois do domínio romano, a cultura e arte grega se difundiram ainda mais por todo o império.

Com o passar do tempo, artistas migraram para outras regiões e espalharam a arte grega para outras localidades.

Apesar do fim do império grego, sua cultura e arte influenciaram outros movimentos muitos séculos depois, como o Renascentismo, o Barroco, Neoclássico e a arte moderna.

Portanto, a arte grega tem um papel fundamental na influencia de diversos movimentos artísticos que vieram a seguir. Não podemos negar que a história da arte grega está cheia de inspirações, seja por toda a mescla de culturas que ocorreram durante os 5 períodos, seja pela disseminação através de artistas migratórios.

Dica de Leitura: A Escola Bauhaus – Mais Que Um Estilo, Um Movimento

Se você gostou desse conteúdo não se esqueça de clicar em curtir e compartilhar! Esse pequeno gesto ajuda bastante no nosso trabalho! Fique à vontade para continuar navegando aqui e, caso queira receber nossos conteúdos por email, inscreva-se na nossa newsletter!


Programas

Nosso maior orgulho é todo mês ter pessoas da comunidade contratadas em grandes empresas, em países como
Brasil, EUA, UK, Irlanda, Alemanha, Holanda, Espanha, Portugal, Áustria, Rep. Tcheca, Nova Zelândia e Canadá.